NOTA | Judiciário reforça impunidade no caso Brumadinho

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) repudia a transferência da competência da justiça estadual para a federal para julgar a ação penal relacionada ao crime de Brumadinho. MPMG recorreu da decisão

Próximo de completar três anos do crime da Vale na bacia do rio Paraopeba, atingidos e atingidas, familiares e população em geral enfrentam mais uma decisão de impunidade por parte da justiça.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) recorreu da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), do dia 19 de outubro, que transferiu da justiça estadual para a federal a competência para julgar a ação penal contra 16 pessoas pelo crime de homicídio qualificado relacionado ao rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). O crime deixou 272 mortos em janeiro de 2019. Sete corpos ainda não foram encontrados.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) denuncia que o deslocamento de competência da ação representa outra violação aos direitos das pessoas atingidas, que não poderão acompanhar o julgamento do crime e ver julgados os responsáveis pelas 272 mortes.

O MAB também ressalta a importância de reivindicar que a investigação, recém terminada pela Polícia Federal, seja publicizada e apresentada aos atingidos. Para além da ação penal em Brumadinho, a ação do MPMG é importante, porque é uma outra esfera de investigação, onde se encontram elementos suficientes para denunciar a Vale e a Tüv Süd.

O povo de Brumadinho deve ter o direito de acompanhar o julgamento dos crimes da Vale e de ter exercido seu instrumento de cidadania e exercício da democracia na justiça estadual daquela cidade.

Conteúdos relacionados
| Publicado 06/07/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Vale recorre à Justiça e alega que indenização das vítimas do crime de Brumadinho é “absurda”

Para o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Vale demonstra negligência ao se recusar a pagar indenização determinada pela Justiça do Trabalho.

| Publicado 26/01/2021 por Claudia Rocha / Comunicação MAB

Marco dos dois anos do crime da Vale em Brumadinho tem atos simbólicos nas cidades da bacia do Paraopeba

Por conta da pandemia, ações foram realizadas com distanciamento social, em locais abertos e com os participantes de máscara

| Publicado 10/11/2020 por Coletivo de Comunicação MAB MG

MAB propõe programa social de renda para atingidos da bacia do rio Paraopeba, em MG

Programa garantirá a continuidade do pagamento mensal para os atingidos pelo crime da Vale (2019) pelos próximos cinco anos, e o aumento do critério ao longo da bacia, que hoje abarca só a população que mora na faixa de 1km do rio