Atingidas de todo o Brasil se organizam para Jornada de Lutas de Março

O mote das lutas deste ano será: “Pela vida das mulheres. Bolsonaro Nunca mais! Por um Brasil sem machismo, racismo e fome.”

Plenária Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB realizada nessa sexta 11 reuniu mulheres de todas as regiões do país

Mais de 200 mulheres atingidas por barragens de 19 estados brasileiros e do distrito federal se reuniram em uma plenária nacional virtual na noite desta sexta-feira, 11, para discutirem a mobilização para a Jornada de Lutas de Março e o plano de atividades do ano. A reunião foi marcada por muita animação e místicas que aconteceram durante o encontro.

A Jornada de Lutas de Março começa no dia 8 – Dia Internacional de Luta das Mulheres, e vai até o dia 14 – Dia Internacional de Luta contra as Barragens, pelos Rios, pelas Águas e pela Vida.

O dia 8 de março é simbólico para as mulheres trabalhadoras de todo o mundo. Neste ano de 2022, com o avanço da vacinação contra a Covid-19, a perspectiva é retomar os atos de rua em diversas cidades, com todos os cuidados sanitários. Historicamente, o MAB constrói atividades relacionadas à data junto às organizações da classe trabalhadora nas capitais e em cidades do interior do país. Para Soniamara Maranho, da coordenação do MAB, o desafio deste ano é massificar as lutas nesta data. “Esse momento não é tão fácil, mas é animador, pois abre um processo de diálogo com o nosso povo, para ampliar nossa capacidade de lutas e avançar em conquistas”, afirmou.

Na análise de conjuntura, Soniamara destacou a importância das eleições deste ano, nas quais se faz necessário garantir a eleição de Lula à presidência, eleger representantes progressistas no Congresso e, sobretudo, manter a organização e a pressão popular para avançar em conquistas e combater retrocessos.

Encontro Nacional das Mulheres Atingidas em Defesa da Vida. Brasília, junho de 2019. Foto: Marcelo Aguilar

Plano de trabalho

A partir deste encontro, as atingidas decidiram organizar um mutirão de trabalho de base com plenárias em todos os estados para mobilizar e animar as mulheres a construir a Jornada de Lutas. A prioridade é se articular com as mulheres da Plataforma Operária e Camponesa da Água e Energia (POCAE) e também outras organizações parceiras para a construção unitária das lutas.

O mote da organização do 8 de Março deste ano definido pelo conjunto das organizações é: “Pela vida das mulheres. Bolsonaro Nunca mais! Por um Brasil sem machismo, racismo e fome”. Para as mulheres do MAB, é fundamental também trazer à tona o tema do modelo energético brasileiro e a violação dos direitos na vida das mulheres da classe trabalhadora, com destaque para a denúncia das altas tarifas da energia, do gás e dos alimentos, que penaliza sobretudo as mulheres.  “Denunciamos também a crise ambiental forçada pelas ações do capital, que nos torna vítimas das enchentes e da falta de uma política de segurança de barragens”, afirmou Cleidiane Barreto, do MAB na Bahia.

Além de planejar as lutas, as mulheres também estabeleceram as linhas políticas para o trabalho organizativo de todo o ano à luz da análise da conjuntura que apontou os principais desafios desse momento. De acordo com as atingidas, a prioridade é continuar avançando e qualificando a organização das mulheres no MAB e construindo as oficinas de arpilleras, dar sequência à formação sobre o feminismo popular, denunciar a violação dos direitos das mulheres atingidas e incentivar o protagonismo das mulheres na luta nos territórios.

Conteúdos relacionados
| Publicado 08/03/2022 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Dia Internacional das Mulheres: Integrantes do MAB participam de atos em todo o Brasil

“Pela Vida das Mulheres, Bolsonaro nunca mais! Por um Brasil sem machismo, sem racismo e sem fome!” é o lema nacional das mobilizações deste ano

| Publicado 07/03/2022 por Coletivo de Comunicação MAB SP

Mulheres atingidas do MAB realizam plenária formativa na capital paulista

No encontro, as mulheres discutiram as principais pautas que o MAB defende neste Dia Internacional da Mulher (8 de março) e foram convocadas para a manifestação que acontece na Avenida Paulista

| Publicado 30/10/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

MAB lança acervo virtual das Arpilleras

Acervo do Movimento dos Atingidos por Barragens reúne trabalhos bordados de mulheres que transformam retalhos de tecidos em narrativas para expressar suas ideias, denunciar violações e anunciar proposições