Atos “Fora Bolsonaro” acontecem em mais de 300 cidades brasileiras neste sábado, 02

Integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) participaram das manifestações em defesa da democracia e contra a inflação geral, o aumento abusivo das tarifas de luz, as privatizações e a gestão pandemia no país

Militantes do MAB em ato na Avenida Paulista em São Paulo (SP)

Nesse sábado, 02, a população saiu às ruas em todo o país em atos contra o governo federal, pedindo pelo impeachment do presidente Bolsonaro. As manifestações contaram com a participação de líderes de movimentos populares, sindicais e organizações políticas mobilizadas pelas frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular.

“Tá caro? Culpa do Bolsonaro”. Nas faixas erguidas pelos manifestantes se destacaram denúncias contra a alta de preços (principalmente da luz, dos alimentos e do gás de cozinha) e em defesa do emprego, da renda e do auxílio emergencial até o fim da pandemia.

Segundo Liciane Andrioli, integrante da coordenação nacional do MAB, é muito importante que a população siga mobilizada nas ruas diante da situação política atual. “Estamos vivendo um momento histórico e complexo no Brasil, pois a democracia está sob ameaça com as posturas e políticas fascistas do governo Bolsonaro. Por isso, o MAB está nas ruas defendendo a soberania e a democracia. Também estamos aqui para denunciar os altos preços da conta de luz, dos alimentos e do gás decorrentes da política econômica que está em curso”, declarou a coordenadora, que esteve presente no ato da Avenida Paulista, em São Paulo (SP).

Integrantes do MAB em ato em Salvador (BA)
Integrantes do MAB em ato em Salvador (BA)

Para Josivaldo Alves, também integrante da coordenação nacional do MAB, os atos de hoje foram muito positivos politicamente porque houve uma grande participação de diferentes partidos. “Os partidos da oposição estão percebendo que não podem ficar distantes das lutas sociais e das demandas do povo”, afirmou a liderança, que vive em Fortaleza (CE). Além disso, Josivaldo avaliou que a participação popular também cresceu em relação ao último ato.

“Isso é fundamental, porque o lugar da classe trabalhadora é na rua, organizando a luta, organizando a resistência na perspectiva da construção de um país mais democrático.  Nesse sentido, a participação do MAB nessas manifestações tem sido muito importante para expor as violações do governo contra a população brasileira no que diz respeito especialmente ´à política energética”, avaliou a liderança.

Em São Paulo, o ato aconteceu no período da tarde com concentração em frente ao Vão Livre do Masp, na Avenida Paulista

Depois de três anos no poder, o saldo do governo Bolsonaro inclui cerca de 15 milhões de desempregados e mais de 590 mil mortos por Covid-19, aumento da fome, da miséria e pobreza com a crescente inflação dos alimentos, do gás e da luz.

“A política da Petrobras sob o governo Bolsonaro faz com que o preço da gasolina e do gás fiquem atrelados ao preço do dólar, mas o salário da população brasileira só diminui e o desemprego só aumenta. Por isso, é muito importante ecoar essa denúncia sobre o que a política do Bolsonaro na área da energia e na área dos combustíveis está provocando. Porque não dá pra dizer que a culpa é só do mercado, ou só de São Pedro, porque não está chovendo e isso encarece a energia. A culpa é da gestão Bolsonaro. Precisamos urgentemente tirar esse genocida do governo e acabar com sua política de retrocesso, de atraso na economia e de preconceitos”, afirmou Ubiratã Dias, da coordenação do MAB no estado de São Paulo.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 03/08/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Aumentos nos preços dos itens de cesta básica, do gás e da tarifa de luz intensificam situação de insegurança alimentar no país

Diante da crescente situação de desemprego, famílias das periferias das grandes cidades têm que optar entre comprar alimentos ou pagar conta de luz, que está com tarifa vermelha. MAB e outras organizações populares do país têm feito parcerias para distribuir cestas básicas para comunidades em situação de maior vulnerabilidade.

| Publicado 03/07/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

MAB participa de protestos do #3JForaBolsonaro em todo o Brasil

Durante os atos, integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens denunciaram a privatização do setor elétrico e os tarifaços que já impactam a vida dos brasileiros e vão piorar com a venda a Eletrobras

| Publicado 02/07/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

MAB se junta a mais de 700 organizações no Superpedido de Impeachment de Bolsonaro

O documento protocolado na Câmara dos Deputados lista 23 crimes de responsabilidade praticados pelo presidente