MAB participa de protestos do #3JForaBolsonaro em todo o Brasil

Durante os atos, integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens denunciaram a privatização do setor elétrico e os tarifaços que já impactam a vida dos brasileiros e vão piorar com a venda a Eletrobras

Terceiro grande protesto contra o presidente em dois meses, o ato de hoje aconteceu em cerca de 300 cidades no Brasil e no exterior e reforçou nas ruas o superpedido de impeachment protocolado na Câmara dos Deputados no dia 30 de junho.

Militantes do MAB na capital paulista. Foto: Marcelo Penharol

Inicialmente, a manifestação estava prevista para ocorrer no dia 24 deste mês, mas foi adiantada diante de denúncias de corrupção na compra da vacina Covaxin, que provocou indignação na população brasileira e mobilizou diversas frentes populares que convocaram os atos de hoje.

Durante os protestos, além de denunciar a gestão criminosa de Bolsonaro na pandemia do COVID 19, os integrantes do MAB também chamaram atenção para os impactos que a privatização das estatais do país vai causar na vida dos brasileiros.

“O preço da luz é um roubo e tira a comida do povo”,  afirmou o coordenador do MAB, Ubiratã de Souza, na abertura de sua fala durante o ato da capital paulista. Segundo ele, o governo atual é está entregando o patrimônio brasileiro para o capital internacional, referindo-se a privatização da Eletrobras, maior companhia de energia da América Latina. “Eles se dizem patriotas, mas idolatram o governo americano e entregam nossas empresas para os estrangeiros e deixam o povo brasileiro na fome, deixam a conta de luz mais cara. Eles deixam o nosso povo sem dignidade, sem auxílio, dão vacina vencida para a população”, ressaltou o militante.

“Nós, do MAB, estamos aqui hoje para denunciar o que está acontecendo no setor elétrico no nosso país. O governo deixou a iniciativa privada cobrar R$ 13 bilhões na conta de luz dos brasileiros. Agora, com a privatização da Eletrobras, a conta de luz vai continuar subindo. E eles vão colocar a culpa na crise hídrica – fabricada por eles –  para dizer que a culpa é nossa, que a culpa é do nosso gasto de água, é da lâmpada que a gente acende em casa. Mas a culpa é desse governo entreguista”, finalizou Ubiratâ.  

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 02/07/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

MAB se junta a mais de 700 organizações no Superpedido de Impeachment de Bolsonaro

O documento protocolado na Câmara dos Deputados lista 23 crimes de responsabilidade praticados pelo presidente

| Publicado 30/05/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Nesse 29 de maio, MAB participou da mobilização Fora Bolsonaro em 22 diferentes estados

Os militantes espalhados pelo país pediam manutenção do auxílio emergencial de R$ 600 e vacinação para todos, além de denunciar a política de desmonte do licenciamento ambiental e de privatização da maior empresa de energia da América Latina, a Eletrobras, que vai provocar aumento da tarifa de luz para a população

| Publicado 07/08/2020 por Brasil de Fato

Movimentos realizam mais um dia nacional da campanha “Fora Bolsonaro”

Manifestantes destacam o número de mortos por covid-19 no Brasil, perto dos 100 mil, e os efeitos da crise econômica