Nesse 29 de maio, MAB participou da mobilização Fora Bolsonaro em 22 diferentes estados

Os militantes espalhados pelo país pediam manutenção do auxílio emergencial de R$ 600 e vacinação para todos, além de denunciar a política de desmonte do licenciamento ambiental e de privatização da maior empresa de energia da América Latina, a Eletrobras, que vai provocar aumento da tarifa de luz para a população

O Movimento dos Atingidos por Barragens participou de atos contra o governo Bolsonaro em todos os estados onde está presente, somando-se aos diversos coletivos e à população que saiu às ruas neste dia 29 de maio. Entre as principais pautas que se destacaram nos atos estão a defesa da vacina, do SUS, do auxílio emergencial de R$ 600,00, além da denúncia dos retrocessos ligados às privatizações e ataques à educação e à saúde por parte do governo federal.

Carreata #ForaBolsonaro em Fortaleza, começou na Arena Castelão e foi até s Praça da Imprensa.
Carreata Fora Bolsonaro em Fortaleza, começou na Arena Castelão e foi até a Praça da Imprensa. 

“Decidir ir às ruas nesse momento foi uma escolha complexa, porque nós somos uma organização que defende as medidas sanitárias estabelecidas como instrumento de combate à pandemia do coronavírus e temos bastante preocupação com esse aspecto. Assim como outros movimentos populares que aderiram à essa grande mobilização nacional, porém, também fomos motivados pela máxima de que quando o governo é pior que o vírus, temos que ir às ruas para combatê-lo”, afirma Iury Bezerra, da coordenação nacional do MAB. A recomendação para a utilização de máscaras e outros cuidados sanitários teve ampla adesão de manifestantes que ecoaram o grito “vacina no braço, comida no prato” durante os atos.

“As atividades que aconteceram por todo o país foram bastante expressivas. Elas mostram que a grande maioria da população brasileira não autoriza o Bolsonaro a continuar o genocídio”, reforça Iury.

Militantes do MAB no ato em São Paulo (SP), que aconteceu na Avenida Paulista.
Militantes do MAB no ato na Avenida Paulista em em São Paulo (SP) chamam atenção para a pauta da tarifa de luz que deve aumentar com privatizações que o governo federal tentar operar.

Os militantes do MAB estiveram em atos em cidades como São Paulo (SP), Fortaleza (CE), Caucaia (CE), Erechim (RS), Porto Velho (RO), Altamira (PA), Mariana (MG), Florianópolis (SC), São Mateus (ES), Teresina (PI), entre outras.  “Foi fundamental para nós, enquanto movimento, não fugirmos da responsabilidade de nos juntarmos ao povo brasileiro na defesa da vida, na defesa do auxílio emergencial – para que os trabalhadores possam se manter protegidos em casa – e contra a privatização da Eletrobras, contra o aumento na conta de luz, entre outras medidas que precarizam a vida da população nesse momento tão difícil”, complementa o coordenador do MAB.

Mobilização em Erechim (RS) nesse 29 de maio.

Seguindo os organizadores, o ato aconteceu em 213 cidades no Brasil e 14 cidades no exterior com forte participação dos centrais sindicais, movimentos sociais e estudantis e da população de forma geral.

“Tivemos uma participação efetiva porque nossa militância, sabendo da dificuldade do momento histórico que vivemos, se mobilizou em massa para construir esse processo de resistência, esse processo de luta. Na nossa avaliação, é fundamental essa retomada da luta nas ruas, porque isso traz a esperança de que vamos superar esse governo genocida. E o MAB é parte desse processo”, finaliza Iury.  

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 07/08/2020 por Brasil de Fato

Movimentos realizam mais um dia nacional da campanha “Fora Bolsonaro”

Manifestantes destacam o número de mortos por covid-19 no Brasil, perto dos 100 mil, e os efeitos da crise econômica

| Publicado 19/05/2021 por Rafaella Dotta - Brasil de Fato MG

Atingidos ocupam mineradora ArcellorMittal, em Itatiaiuçu (MG), para exigir reparação

Cerca de 2 mil pessoas foram atingidas e evacuadas de suas casas devido à insegurança da barragem Serra Azul

| Publicado 08/06/2020

“Ninguém vai para casa até conseguirmos mudanças”, afirma militante negro estadunidense

Robert Robinson, integrante do movimento Take Back the Land comenta os protestos recentes, as demandas do povo negro estadunidense e os desafios frente a situação de pandemia do novo coronavírus e as eleições presidenciais nos EUA, marcadas para novembro desse ano