Enchente atinge rua que foi tomada pela lama no rompimento da CASAN, em Florianópolis

“Começou tudo novamente”, relata Dona Teresa, que está com a casa em reforma após ter sido atingida; moradores suspeitam de problema no sistema de drenagem da rua

Nesta semana, as chuvas que atingiram a região de Florianópolis trouxeram à tona problemas no sistema de drenagem da Servidão Manoel Luiz Duarte, na Lagoa da Conceição.

Após o rompimento da barragem da CASAN, no dia 25 de janeiro, a rua foi tomada pela lama. Na quarta-feira (21), pelo menos duas casas ficaram alagadas, e as famílias seguem impedidas de reconstruir suas vidas.

Os moradores suspeitam que a grande enchente de lama ocorrida com o rompimento da barragem pode ter danificado o sistema de drenagem da rua, causando a enchente.

Além dos transtornos, o medo e a insônia em dias de chuva permanecem presentes. Os atingidos relatam conviver com a insegurança da falta de informações e com o receio constante de um novo rompimento.

A lagoa de tratamento de esgoto da empresa passou por obras de contenção e segue sendo reformada nos fundos da rua Servidão Manoel Luiz Duarte. No entanto, ainda não existem medidas de segurança, como sirenes ou planos de evacuação no caso de novo rompimento.

“Começou tudo novamente”, relata Dona Teresa, atingida pela barragem da CASAN. A casa dela estava em reforma, e a atingida foi avisada pela vizinha sobre os alagamentos.

“É de chorar, é a segunda vez que isso destrói a vida da gente”, afirma Dona Teresa. A família estava, aos poucos, retomando a vida, com tudo arrumado esperando a reforma da casa. Agora, permanece a tristeza, o desânimo e a insegurança de retornar ao local onde moram há décadas.

Casa alagada na rua Servidão Manoel Luiz Duarte / Foto: MAB-SC

Paloma, também atingida pelo rompimento da barragem da CASAN, estava prestes a retornar ao seu lar neste final de semana. Nesta terça-feira (20), sua família instalou a mobília nova, quando foram surpreendidos por um novo alagamento. Foram destruídos móveis e eletrodomésticos, o lar que estava sendo reconstruído voltou a ficar inabitável.

Os moradores, atingidos e atingidas pelo rompimento, cobram respostas da CASAN. A empresa nega ter responsabilidade sobre os acontecimentos, indicando que a rede pluvial é responsabilidade da prefeitura, e trata as pessoas com descaso e desrespeito.

As famílias seguem sem resposta e sem saber como agir. A lama que atingiu toda a rua no dia 25 de janeiro, era densa, fétida, e muito difícil de ser removida, portanto os moradores relatam que deve ter afetado a rede pluvial entupindo os canos de drenagem.

“A rua que foi calçada há mais de 20 anos nunca teve alagamentos como este antes”, relata dona Teresa.

O MAB se solidariza às famílias atingidas e denuncia a injustiça enfrentada pelos moradores. Para o movimento, não é justo as famílias passarem por alagamentos em suas casas pela segunda vez em menos de três meses. O Movimento dos Atingidos por barragens segue vigilante até que haja a reparação integral dos direitos das famílias atingidas, dentre os quais está o direito a não repetição do dano sofrido.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 21/04/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens - Pará

Prefeitura de Altamira (PA) terá que escutar atingidos para regulamentar royalties de Belo Monte

Sob pressão popular por meio dos movimentos sociais, o prefeito assinou compromisso com o Ministério Público para garantir debate público sobre a distribuição da verba

| Publicado 24/04/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Uma “primavera feminista” no outono: saiba como foi o 2º Encontro Nacional de Mulheres do MAB

Evento reuniu cerca de 400 atingidas de diferentes regiões do país em debate sobre os desafios e as conquistas das lutas das mulheres do movimento

| Publicado 20/04/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens - Maranhão

Em visita a Aurizona, MAB cobra agilidade da empresa no atendimento emergencial aos atingidos pelo rompimento

Nas reuniões realizadas com representantes dos órgãos oficiais, o tema considerado central é a construção de uma pauta emergencial que atenda as reivindicações dos atingidos, como o abastecimento de água de qualidade e o asfaltamento da estrada que liga o distrito ao município de Godofredo Viana