NOS DIAS 22 E 24: LUTAMOS POR DIREITO A ÁGUA, VACINAÇÃO JÁ PARA TODOS! QUEBRA DAS PATENTES DA VACINA E FORA BOLSONARO E ZEMA!

Manifesto dos atingidos por barragens em Congonhas, Minas Gerais. Confira:

Elemento natural e finito que é tudo: mata a nossa sede, de animais e plantas; ajuda na produção e preparação de alimento; faz parte de nossa higiene; oferece lazer e vida saudável. Gritamos porque no nosso dia a dia é “ÁGUAS PARA A MORTE”, principalmente por causa das mineradoras. A água contaminada ou a falta dela afetam, diretamente, a saúde de milhares de famílias atingidas pelo crime da Vale, na bacia do Paraopeba.

Moradores de Congonhas e região sofrem pesadelos semelhantes por causa da “MINERAÇÃO PARA A MORTE”. As serras descobertas impedem a acumulação natural de água e reduzem sua quantidade. A drenagem de áreas de mineração rebaixa o lençol freático. Elas usam água em todo o processo de produção; elas contaminam as águas superficiais e subterrâneas; elas se apropriam das áreas de preservação, ricas em água, e das fontes de abastecimento de comunidades e da cidade de Congonhas.

A privatização da água em curso no Brasil só reforça a “ÁGUA PARA A MORTE”, fazendo dela um negócio lucrativo para acumulação de capital e piorando a situação do povo.

Por isso, reivindicamos:

1 – Da VALE: abastecimento com água de qualidade e em quantidade suficiente, através de caminhão pipa ou mineral, para todas as famílias atingidas pelo crime da mineradora na Bacia do Paraopeba;

2 – Da FERRO+: paralisação de mineração no topo da Serra do Pires, devolução das áreas das fontes João Batista e Boi na Brasa, explicação sobre poço artesiano em construção no Pires;

3 – Da MRS: duplicação de canalização de água de uso centenário em trecho de 1.000 metros, prejudicado pela linha férrea;

4 – Da COPASA: destinação adequada para esgoto da cidade e das comunidades;

5 – Do Governo MUNICIPAL: relação soberana e transparente com as mineradoras e demais empresas, definição de áreas livres de exploração de minério, revisão dos termos de concessão de água à COPASA;

6 – Do GOVERNO ESTADUAL: não cobrança de taxa de água enquanto durar a pandemia e fiscalização independente das ações das mineradoras;

7 – Do GOVERNO FEDERAL: não privatização da água e paralisação das mineradoras, com todas as garantias de estabilidade no emprego, salários e direitos para os trabalhadores direto e indireto enquanto durar a pandemia;

8 – De TODAS AS MINERADORAS: assumirem o imenso passivo social acumulado com a histórica mineração predatória dos territórios, da classe trabalhadora, tornando a atividade um componente de garantia de políticas públicas que melhorem a vida do povo brasileiro.

24 DE MARÇO: Dia Nacional de Mobilização

Passado um ano do início da pandemia, presenciamos todos os descasos do Governo Federal, Estadual e Municipal frente à Covid-19. Falaram que o vírus teria que se espalhar, fizeram chacota das vacinas e não garantiram a produção de vacinas para toda a população. 

Em Congonhas, passaram a mão na cabeça da mineração que tiveram os maiores lucros dos últimos anos. Para se ter uma ideia a Vale teve R$ 109 bilhões de reais e CSN mais de R$ 10 bilhões.  

Nossa mobilização irá ocorrer no momento de maior gravidade da pandemia da Covid-19 no Brasil. O sistema de saúde está à beira do colapso em todo o país e o número diário de mortes aumenta a cada dia. Nos aproximamos rapidamente da trágica marca de 300 mil vidas perdidas. Em meio a toda essa crise, o governo anuncia mais uma troca no Ministério da Saúde e prioriza, com sua base no Congresso Nacional, mais cortes no orçamento e menos proteção social ao povo. 

É urgente o nosso grito de revolta e indignação! Lutemos todos e todas!

– Em defesa da VIDA! Pelo fechamento total das atividades (lockdown) por 15 dias em todo o pais para frear a pandemia, as mortes e o colapso do sistema de saúde.

– AUXÍLIO EMERGENCIAL DE R$600 e PROTEÇÃO AOS EMPREGOS enquanto durar a pandemia, para que o povo possa sobreviver e enfrentar a fome e a carestia.

– VACINA JÁ! Para todas as pessoas, em defesa do SUS. Quebra das patentes de todas as VACINAS e redirecionar a para a produção IMEDIATA DE VACINAS PARA TODOS!

– FORA BOLSONARO, MOURÃO E ZEMA! Pelo fim de um governo genocida que está matando o povo brasileiro pela doença e pela fome.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 22/03/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens - Rio de Janeiro

Privatização do saneamento avança no Rio de Janeiro; confira a análise do MAB

Estudo do Movimento dos Atingidos por Barragens mostra o cenário da entrega da água para grandes empresas privadas

| Publicado 12/02/2021 por Coletivo de Comunicação MAB MG

Vale institui jornada de 12 horas de trabalho em minas na região de Congonhas (MG); MAB é contra

Movimento defende frente ampla para derrubar jornada de trabalho imposta pela mineradora

| Publicado 18/01/2021 por Coletivo de Comunicação MAB MG

Em Congonhas (MG), MAB cobra construção de creche e responsabilização da CSN

MAB reafirma necessidade de construção de creche para a comunidade em local seguro e que a empresa pague a conta