UFES realiza homenagem à Flávia Amboss seis meses após seu assassinato

Militante do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Flávia foi uma das vítimas do ataque das escolas de Aracruz (ES) em 2022

Flávia Amboss era professora de Sociologia, pesquisadora acadêmica e militante do MAB. Pesquisava e atuava junto às comunidades atingidas pelo crime da mineradora Samarco / Vale / BHP na Bacia do Rio Doce. Foto: Arquivo Pessoal

Nesta quinta-feira, dia 25 de maio, o Centro de Ciências Humanas e Naturais, o Departamento de Ciências Sociais e o Centro Acadêmico de Ciências Sociais da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), prestam homenagem à Flávia Amboss, vítima do ataque a tiros que aconteceu em duas escolas em Aracruz, no dia 25 de novembro, deixando quatro mortos e 12 feridos. O evento será realizado no Anfiteatro do Centro de Ciências Humanas e Naturais da UFES, das 14h às 17h50. 

Flávia era professora, pesquisadora acadêmica e militante pelos direitos humanos dos atingidos e atingidas por barragens do Rio Doce. Por isso, a programação do evento inclui um ato de homenagem e uma apresentação sobre a sua trajetória acadêmica, que será conduzida pelo professor do Departamento de Ciências Sociais, Marcelo Vieira, e da pesquisadora do Grupo de Estudos em Populações Pesqueiras e Desenvolvimento, Aline Trigueiro. Além disso, a coordenadora do MAB, Juliana Nicoli, irá fazer uma fala sobre a trajetória política e o engajamento de Flávia junto às comunidades atingidas do Rio Doce. 

Leia também: 6 meses sem Flávia Amboss: MAB cobra justiça, reparação e prevenção de novos atentados

O evento também irá contar com um espaço de debate, a mesa Meios para combater o neofascismo: Por uma educação em prol da vida, com coordenação da professora Márcia Barros, do Centro de Ciências Sociais, e convidados. 

Além de Flávia, também faleceram no atentando Maria Penha Pereira de Melo Banhos, de 48 anos, e Cybelle Passos Bezerra, de 45 anos, todas professoras na mesma escola em que ela trabalhava, além da estudante Selena Zagrillo, de 12 anos, aluna de outra escola, também alvo do assassino.

Serviço

Homenagem do Centro de Ciências Humanas e Naturais, do Departamento de Ciências Sociais e do Centro Acadêmico de Ciências Sociais da UFES à 

Data: 25/05

Horário: 14h às 17h50

Local: Anfiteatro I do  Centro de Ciências Humanas e Naturais da UFES (em cima da cantina do Onofre – IC2).

Programação:

14h
Abertura: Ato em Memória de Flávia  

14h15
Trajetória acadêmica de Flávia Amboss na UFES, por Marcelo Vieira (DCSO) e Aline Trigueiro (GEPPEDES/DCSO) 

14h40
O engajamento político junto aos povos do rio Doce, por Juliana Nicoli (MAB-ES)

15h10
Homenagens de amigos(as) da Flávia 

15h30
Lanche coletivo

15h50
Mesa: Meios para combater o neofascismo: Por uma educação em prol da vida. Com coordenação: Profa. Márcia Barros (DCSO) e convidados: Profa. Edite Maria Rosa (diretora do CCHN/UFES), Lohaine Jardim (Psicanalista e Doutoranda PGCS/UFES) e Prof. Maurício Abdala (Departamento de Filosofia/UFES)

17h20
Homenagens de amigos(as) de Flávia

17h40
Encerramento

Conteúdos relacionados
| Publicado 21/12/2023 por Coletivo de Comunicação MAB PI

Desenvolvimento para quem? Piauí, um território atingido pela ganância do capital

Coletivo de comunicação Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) no Piauí, assina artigo sobre a implementação de grandes empreendimentos que visam somente o lucro no território nordestino brasileiro

| Publicado 23/11/2023 por Coletivo de Comunicação do MAB ES

Defensora Pública do Espírito Santo ajuíza ação contra governo no caso do atentado de Aracruz

Ação civil pública cobra reparação para vítimas do crime com base na pauta entregue pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)

| Publicado 29/07/2021

Atingidos discutem com a Fundação Getúlio Vargas impactos do crime da Vale/Samarco/BHPBilliton na Bacia do Rio Doce

A discussão aconteceu em reunião envolvendo diferentes lideranças do setor pesqueiro de Conceição da Barra-ES e representante estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)

| Publicado 23/05/2023 por Coletivo de Comunicação MAB PA

Ribeirinhos de comunidades acima do reservatório de Belo Monte reivindicam reparação de danos

Segundo o Ministério Público, movimentos sociais e moradores locais, a construção da usina, que aguarda a renovação de sua licença de operação, causou irreparáveis prejuízos ao meio ambiente e provocou o sumiço dos peixes do Xingu, impactando comunidades abaixo e acima da barragem