Barragem da capital gaúcha recebe Missão-Denúncia da Campanha Despejo Zero

Famílias atingidas pela barragem Lomba do Sabão relataram violação de direitos em processo de remoção

Localizada na divisa entre Porto Alegre e Viamão, no Rio Grande do Sul, a Barragem Lomba do Sabão foi desativada e abandonada pela Prefeitura de Porto Alegre há muitos anos, causando diversos impactos para o bairro Lomba do Pinheiro, inclusive pelo risco de rompimento

Na manhã de ontem (26), os atingidos pela barragem Lomba do Sabão, localizada no bairro Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre (RS), receberam a visita da Missão-Denúncia da Campanha Nacional Despejo Zero. A Campanha está acompanhando áreas de despejos na região metropolitana de Porto Alegre desde o dia 25.

Entre as atividades previstas da Missão está a realização de assembleias e escutas em cada ocupação e região visitada para montar um relatório de denúncias que será utilizado para cobrar medidas do poder público acerca das violações de direitos humanos e do direito à moradia da população atingida.

O MAB foi uma das organizações que se somou à iniciativa em Porto Alegre, organizando a visita à área da barragem, onde as remoções das famílias para outros locais vem sendo feita por órgão públicos municipais e gerado muitos impactos negativos para as famílias atingidas. Entre muitos problemas relatados, os moradores denunciam as más condições das novas moradias onde foram realocados: muitas construções já apresentam rachaduras e infiltrações.

Segundo Débora Moraes, coordenadora municipal do MAB, a presença da missão na barragem da Lomba do Sabão trouxe luz e esperança para os moradores que estão abandonados pelos órgãos municipais. “O poder público simplesmente esqueceu que existe essa barragem e moradores que residem aqui”, argumenta Débora.

A Campanha Despejo Zero é uma ação nacional, cujo objetivo é suspender despejos e remoções forçadas de famílias. “É preciso registar que historicamente comunidades, movimentos do campo e da cidade, populações tradicionais e militantes de diversos segmentos têm se mobilizado e resistido pelo direito a sua moradia e território. Grilheiros e especuladores, muitas vezes aliados aos poderes públicos, têm expulsado comunidades e violado direitos por todo o país. A garantia da moradia digna, no campo e na cidade, é fundamental para a manutenção da vida – centro da nossa campanha”, frisa o texto do Despejo Zero RS.

Além da visita, os integrantes da campanha participaram hoje, 27, de uma audiência pública na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre e de uma reunião com os diretores do Departamento Municipal de Habitação da capital.

Conteúdos relacionados
| Publicado 13/04/2022 por Coletivo de Comunicação MAB RS

MAB e Fiocruz iniciam atividades de projeto relacionado à saúde de atingidos por barragens no RS

As atividades que tiveram início neste mês de abril incluem pesquisa com atingidos das barragens de Itá e do Complexo Hidrelétrico Binacional Garabi e Panambi

| Publicado 27/08/2021 por Coletivo de Comunicação MAB RS

Audiência pública discute os impactos do projeto do Complexo Hidrelétrico Garabi e Panambi que envolve 35 municípios

Sessão online promovida pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul tratou das consequências que o complexo binacional (Brasil / Argentina) teria para o meio ambiente e para a população atingida

| Publicado 04/05/2022 por Ana Flávia - Instituto Centro de Vida e Juliana Pesqueira - do Coletivo Proteja

Comunidades Pedreira e Palmital de Juara (MT) lançam campanha para visibilizar contribuição para a economia regional

Com 40 anos de existência, comunidades de agricultores familiares são ameaçadas por projeto de hidrelétrica no Rio Arinos