MAB e Fiocruz iniciam atividades de projeto relacionado à saúde de atingidos por barragens no RS

As atividades que tiveram início neste mês de abril incluem pesquisa com atingidos das barragens de Itá e do Complexo Hidrelétrico Binacional Garabi e Panambi

Durante o mês de abril, o Movimento de Atingidos por Barragens e a Fundação Oswaldo Cruz deram início às atividades do projeto “Diagnóstico das condições de vida e saúde ambiental em regiões atingidas por barragens no estado do Rio Grande do Sul”.

As ações a campo do projeto consistem na aplicação de questionários com moradores e profissionais de saúde nos municípios de Aratiba e Mariano Moro, localizados no território atingido pela barragem de Itá, na região norte do estado, e nos municípios de Porto Lucena e Alecrim, localizados no território atingido pelo projeto do Complexo Hidrelétrico Binacional Garabi e Panambi, na região noroeste.

O objetivo é promover o diálogo com as famílias atingidas por barragens, profissionais da área de saúde atuantes nos municípios pesquisados, secretarias de saúde, prefeituras, sindicatos parceiros, hospitais comunitários e sociedade em geral, que tenham interesse em estar contribuído com a pesquisa.

No último dia 6, militantes do MAB iniciaram as entrevistas com moradores em Aratiba e seguem em seguida para Mariano Moro, Alecrim e Porto Lucena. A partir do dia 18, os pesquisadores da Fiocruz somam-se a equipe de campo para dar sequência ao roteiro de atividades nos dois territórios atingidos por barragens até o final do mês.

O projeto tem como objetivo fazer um diagnóstico aprofundado da realidade concreta da vida e saúde do povo atingido por barragem, de forma a contribuir na proposição de políticas públicas em saúde para as áreas atingidas e ameaçadas por empreendimentos hidrelétricos no estado do Rio Grande do Sul, fazendo uso dos dados coletados e analisados por meio do diagnóstico, assim como a elaboração de uma proposta de formação docente para intervir de acordo com a realidade concreta dos territórios estudados.

“A Fiocruz é referência nacional em saúde pública, com renome internacional. Seus profissionais são de alta competência e o MAB tem orgulho enorme em estar desenvolvendo estas atividades junto aos atingidos com pessoas tão empenhadas nas melhorias das condições de vida do povo, como são os trabalhadores da Fiocruz. Certamente o resultado desta pesquisa será de enorme importância para o MAB e para o poder público municipal”, afirmam os coordenadores do MAB.

Conteúdos relacionados
| Publicado 27/04/2022 por Coletivo de Comunicação MAB RS

Barragem da capital gaúcha recebe Missão-Denúncia da Campanha Despejo Zero

Famílias atingidas pela barragem Lomba do Sabão relataram violação de direitos em processo de remoção

| Publicado 27/08/2021 por Coletivo de Comunicação MAB RS

Audiência pública discute os impactos do projeto do Complexo Hidrelétrico Garabi e Panambi que envolve 35 municípios

Sessão online promovida pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul tratou das consequências que o complexo binacional (Brasil / Argentina) teria para o meio ambiente e para a população atingida

| Publicado 07/04/2022 por Coletivo de Comunicação MAB MA

Política Estadual dos Atingidos por Barragens (PEAB) é aprovada na Assembleia Legislativa do Maranhão

Projeto de lei que é defendido historicamente pelo MAB foi aprovado um ano após o rompimento de barragem da Equinox Gold no distrito de Aurizona e segue agora para sanção do Governo