Pela soberania sobre os recursos energéticos, seminário reúne países da América Latina e reforça luta conjunta

Organizações de diversos países do continente reforçam mobilizações pela soberania sobre os recursos energéticos e contra a privatização das empresas públicas de eletricidade entre elas Eletrobras no Brasil e ANDE no Paraguai

Na última sexta-feira (26), aconteceu o encerramento do Seminário Internacional “Soberania e Integração Elétrica Regional – Modelo Energético atual: desenvolvimento pra quem e pra quê?”, que teve início no dia 24 de novembro, em Foz do Iguaçu (PR). Realizado de forma hibrida (com participação presencial e remota) e com transmissão ao vivo pelas redes sociais, o evento reuniu participantes e expositores de países latino-americanos.

Participantes presenciais do Seminário na cidade de Foz do Iguaçu/PR. Foto: MAB

No seminário, entre outros temas, foi debatida a revisão do Tratado de Itaipu, firmado entre Brasil e Paraguai, que acontecerá em 2023. Também discutiu-se os impactos e as possíveis ações contra a privatização das companhias Eletrobras, no Brasil, e Administración Nacional de Electricidad – ANDE, no Paraguai, e do setor elétrico no Cone Sul de forma geral. O seminário tratou ainda da importância do papel do Estado no setor da energia e eletricidade, da integração energética regional em benefício dos povos e do capital e das matrizes complementares à hídrica na geração de eletricidade.

A expectativa dos participantes é criar uma agenda conjunta de mobilização popular na defesa da soberania dos países da região sobre seus recursos, a partir da troca de informações e experiências, especialmente para garantir o direito de acesso universal à água e à energia. Para isso, avaliou-se que é essencial o enfrentamento dos interesses privados para se promover a justiça social.

Para Robson Formica, da coordenação nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB, a “renovação do Tratado de Itaipu é de interesse de toda a população do continente sul-americano, por ser a barragem que mais produz energia no mundo e que deve estar sob controle popular, a serviço dos interesses do povo da região”.

Durante o encerramento, Mercedes Canese, integrante da Campanha Itaipu 2023 Causa Nacional, do Paraguai, leu o Comunicado Conjunto elaborado pelos participantes onde firmou-se compromisso com a luta contra a privatização das empresas públicas Eletrobras e ANDE; apoio à recuperação da gestão pública das empresas de energia elétrica na Argentina, Chile, México e Puerto Rico; reconhecimento dos direitos dos povos indígenas atingidos por Itaipu; fomento ao desenvolvimento de energias renováveis e integração energética entre os países latino-americanos. D

“Apoiamos a luta dos povos da América Latina e do Caribe por sua soberania sobre os recursos energéticos, sua gestão pública e pela recuperação das empresas públicas privatizadas, em particular de eletricidade, que só colaboraram para o atraso e empobrecimento dos povos. Apoiamos e convocamos outras organizações de nossos países a apoiar fortemente as campanhas “Itaipu Causa Nacional 2023”, “Salve a Energia” e “Energia para a Vida””.

O seminário foi realizado pela iniciativa coletiva de: Campaña Itaipu 2023 Causa Nacional, Coletivo Nacional do Eletricitários, Frente por uma Nova Política Energética para o Brasil, FETRASEP – Py (Federación de trabajadores de Sector de la Energía del Paraguay),  MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens, MAR –  Movimento de los Afectados por Represas, Sociedad de Comunicadores del Paraguay, SITRANDRE – Sindicato de Trabajadores de la Administración Nacional de Eletricidad), Sobrevivencia – Amigos de la Tierra Paraguay, Jubielu Sul Brasil, Jubileu Sul América.

Conteúdos relacionados
| Publicado 29/11/2021

Seminário discute integração e soberania energética e elétrica no Cone Sul

Debate sobre Itaipu marcou o terceiro dia do Seminário “Soberania e Integração Elétrica Regional – Modelo Energético Atual: Desenvolvimento para quem e para quê?”