Geraizeiros no Vale do Jequitinhonha/MG paralisam atividades da empresa NoFlor

Atingidos denunciam invasão nos territórios e grilagem de terras da empresa responsável pelas monoculturas de eucalipto na região.

Atingidos organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) da comunidade Curralinho, na região do Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais, paralisaram ontem (10), véspera do dia Nacional do Cerrado, as atividades da empresa NoFlor, em Josenópolis, responsáveis pelas monoculturas de eucalipto na região. 

A ação soma na luta em defesa do território da população tradicional Geraizeira, reconhecida pela  Lei nº 21.147, de 14 de janeiro de 2014, observando o que dispõe a convenção 169 da OIT, que afirma a consulta aos povos tradicionais sobre qualquer empreendimento em seu território.  

De acordo com Aline Ruas da coordenação do MAB na região, os atingidos vêm  sofrendo violações constantes da NoFlor.  

“A empresa vem invadindo o território tomando as terras que pertence, às famílias Geraizeiras. Eles também contaminam o solo e perturbam o silêncio da comunidade com as obras e o maquinário pesado. Os povos Geraizeiros sofrem preconceitos pelas autoridades que desconhecem a identidade da comunidade, além de favorecer as ações da empresa” afirmou. 

Em luta com o povo Geraizeiro organizado no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Aline ressalta que hoje, 11 de setembro, dia Nacional do Cerrado, “é dia de defender o projeto em defesa da vida”. Em nota, o povo Geraizeiros “denuncia o projeto das grandes empresas de monocultura de eucalipto que, em uma série de violações aos direitos das comunidades tradicionais, impedem o livre acesso ao território, desmatam as terras, acabam com as nascentes, e praticam a grilagem de terras” representou. 

Defender o Cerrado é defender a vida!

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 23/07/2020 por Coletivo de Comunicação MAB MG

Geraizeiros: cultura, resistência e lutas no Cerrado mineiro

Conhecidos como guardiões do Cerrado, os povos Geraizeiros do norte de Minas, lutam e resistem para poderem reproduzir cultura e modos de vida

| Publicado 24/08/2020 por Coletivo de Comunicação MAB MG

Empresa Norflor é responsável por contaminação de nascente no município de Josenópolis/MG

Geraizeiros denunciam a poluição das nascentes provocadas pela empresa de plantios de eucalipto

| Publicado 27/07/2020 por Coletivo de Comunicação MAB MG

Relato de um geraizeiro: a luta por manter viva uma identidade

Adeilson Ferreira Agostinho, Comunidade Água Boa II, em Rio Pardo, fala da luta para manter viva a cultura de sua comunidade