NOTA | A privatização causa a terceirização. A terceirização causa a morte e perda de direitos!

Dois trabalhadores são mortos por soterramento durante manutenção das turbinas da Hidrelétrica de Santo Antônio, em Porto Velho (RO). Operários eram funcionários de empresa terceirizada

Hidrelétrica de Santo Antônio, em Porto Velho (RO)

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) se solidariza com os trabalhadores que tiveram suas vidas ceifadas quando faziam a manutenção na turbina 4 da Hidrelétrica de Santo Antônio, em Porto Velho (RO). A morte dos operários, que eram irmãos, Cláudio de Sales Fernandes e Otacílio de Sales Fernandes, aconteceu durante o resgate de peixes da turbina 4, na margem direita do Rio Madeira. Os trabalhadores eram funcionários da empresa terceirizada Rumo Ambiental, que presta serviços para a Hidrelétrica Santo Antônio Energia.

As mortes ocorreram em virtude da grande quantidade de sedimentos que se acumulam dentro das turbinas que se deslocam quando a água é liberada para fazer o resgate dos peixes. Com a queda da lama, os trabalhadores foram soterrados. Alertamos que não é a primeira vez que acidentes como esse envolvendo desmoronamentos de sedimentos no Rio Madeira acontecem.

Nos solidarizamos com as vítimas e seus familiares e denunciamos a Rumo Ambiental e a Santo Antônio Energia, responsável pelo funcionamento da hidrelétrica. Alertamos que a terceirização – focada na redução de custos das grandes companhias – causa danos irreparáveis aos trabalhadores do setor elétrico. Contratados por empresas que, muitas vezes, não seguem protocolos sérios de segurança do trabalho, eles não recebem os equipamentos de proteção necessários para suas atividades e são obrigados a atuar em operações que colocam sua própria vida em risco, sem os cuidados necessários.

Exigimos que seja apurada a causa do acidente e esperamos que as empresas responsáveis garantam plena assistência aos familiares dos trabalhadores e a todas as famílias das vítimas. É muito triste que mais uma tragédia envolvendo o setor elétrico sacrifique a vidas de trabalhadores brasileiros.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 22/07/2021 por Wesley Lima

Em Seminário, Via Campesina-Brasil irá discutir diversidade sexual

Evento terá participação de pessoas LGBTI do campo, das águas e das florestas. A programação inclui a discussão de temas como a conjuntura política e os desafios do período de pandemia

| Publicado 22/07/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Prefeitura de Altamira aponta necessidade de retirar mais 56 imóveis da área da “Lagoa”

Laudo amplia número de imóveis considerados inviáveis de serem ligados ao sistema de saneamento e reconhece a responsabilidade da Norte Energia sobre a remoção das famílias

| Publicado 20/07/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Condolências pela morte de sete trabalhadores terceirizados da Engie no Pará

Queda de torres de transmissão é um retrato da precarização a que estão submetidos os trabalhadores conforme avança a privatização no setor elétrico