Acordo sem participação dos atingidos beneficia mineradora Vale, responsável pelo crime em Brumadinho

Audiência está marcada para amanhã (4), a partir das 9h, no TJMG. Atingidos estarão na porta do Tribunal, em ato simbólico, contra o Acordão nos moldes que está sendo fechado

Tribunal de Justiça de Minas Gerais anunciou hoje a audiência de conciliação entre a Vale e as Instituições de Justiça, responsáveis pelas ações sobre a reparação dos danos causados pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho. A audiência será amanhã (4), a partir das 9h, no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) – Avenida Afonso Pena, 4001, Belo Horizonte. 

O Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB denuncia que a forma como as negociações do Acordo Global vêm sendo realizadas não garantem a reparação dos titulares de direitos da ação, os atingidos da bacia do Rio Paraopeba, uma vez que foi fechado sem a participação do povo nas mesas de negociação. Os atingidos são os principais interessados em um acordo justo, que contemple as necessidades das vítimas do crime em toda a bacia do Paraopeba.

Para o MAB, a forma como o acordo está sendo fechado só beneficia a mineradora criminosa. Os valores especulados para o fechamento do acordo estão em níveis rebaixados, e servirão para contribuir ainda mais com os lucros exorbitantes da Vale. 

Para o governo de Minas Gerais, esta será a oportunidade de fechar grandes obras na capital, que não contemplam ou beneficiam os atingidos pelo crime – que estão na Região Metropolitana da cidade – mas que servem de propaganda eleitoral, mirando seu principal interesse para o ano de 2022. 

Ato no TJMG

Atingidos organizados no MAB estarão nesta quinta-feira (3), a partir das 9h, na porta do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, com um ato simbólico em denúncia ao acordão entre a Vale e o Estado de Minas Gerais. 

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 02/02/2021 por Coletivo de Comunicação MAB MG

Com divulgação de desfecho na imprensa, MAB discorda do acordo sobre crime da Vale em Brumadinho

Estratégia de imprensa é utilizada para “apresentar” o acordo global de Brumadinho; Vale será a maior beneficiada e seguirá impune de mais um crime

| Publicado 21/01/2021 por Coletivo de Comunicação MAB MG

Processo judicial de reparação do crime da Vale em Brumadinho é transferido de instância, em novo golpe aos atingidos

Sem justificativa, processos sobre o acordão entre a mineradora Vale e o governo Zema mudam de instância judicial na justiça de Minas Gerais

| Publicado 03/03/2021 por ANAB, Associação Comunitária de Aranha, CASEC, FAACV, MAM, Movimento dos Atingidos por Barragens

Atingidos entram com recurso no TJMG contra homologação do acordo entre a Vale e o estado de Minas Gerais

Foi protocolado, nesta terça-feira (02), uma apelação no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) solicitando a garantia efetiva do direito de participação prévia, livre e informada dos atingidos no acordo de reparação pelo crime da Vale em Brumadinho