No México, líder atingido Fidel Heras Cruz é assassinado

Heras foi encontrado morto com ferimento de bala; autoridades cobram investigação e proteção aos defensores de direitos humanos no rio Verde em Oaxaca

Fidel Heras Cruz, defensor do meio ambiente, membro do Conselho das Nações Unidas para a Defesa do Rio Verde (COPUDEVER) e presidente do Comissariado Ejidal de Paso de la Reyna, município de Santiago Jamiltepec no estado de Oaxaca, foi encontrado morto no último sábado (23).

O corpo de Heras foi encontrado com ferimentos a bala dentro de seu caminhão na entrada da comunidade La Esperanza, município de Jamiltepec.

Em 21 de janeiro, Heras já havia recebido uma carta anônima com ameaças de morte, encontrada dentro de uma sacola nos canteiros de obras da sede do comisariado Ejidal de Paso de la Reyna.

Nos dias anteriores ao assassinato de Fidel Heras Cruz, as lideranças comunitárias haviam notado a presença de uma van desconhecida na área. Em dezembro de 2020, Heras Cruz havia recebido ameaças por seu trabalho em defesa do Rio Verde, especificamente de uma família local ligada à extração de pedras do rio.

Heras, na qualidade de presidente do Comissariado Ejidal de Paso de la Reyna, vinha denunciando os danos ambientais causados ​​pela extração de pedras, bem como o descumprimento do acordo que a regulamenta. A região também é ameaçada pela construção da hidrelétrica Paso de la Reina.

Segundo o Consórcio para o Diálogo Parlamentar e Equidade Oaxaca, entre 2017 e 2021 pelo menos 25 defensores dos direitos dos povos indígenas, terras e territórios foram assassinados. 

O Observatório para a Proteção de Defensores dos Direitos Humanos, programa conjunto da Organização Mundial contra a Tortura (OMCT) e a Federação Internacional pelos Direitos Humanos (FIDH), solicitaram intervenção urgente às autoridades de Oaxaca e as autoridades federais mexicanas a investigarem de forma imediata, exaustiva e imparcial o assassinato de Fidel Heras Cruz e a tomarem as medidas necessárias para garantir a integridade física e psicológica dos defensores que defendem o rio Verde em Oaxaca.

O Movimiento de Afectados por Represas (MAR) repudia o assassinato de Heran e cobra a investigação do caso e punição dos envolvidos, bem como a proteção das demais lideranças das comunidades em Oaxaca também ameaçadas por sua luta contra a construção de represas, em defesa dos rios e do meio ambiente.

Confira a nota do Consejo de Pueblos Unidos por la Defensa del Río Verde COPUDEVER.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 20/01/2021 por Coletivo de Comunicação MAB

Em Paris, mobilização entrega ao embaixador brasileiro relatório sobre a situação dos Direitos Humanos no Brasil

Em ato na capital francesa, militantes de 18 organizações denunciam ao mundo as violações de direitos humanos e ambientais no Brasil

| Publicado 08/06/2020

“Ninguém vai para casa até conseguirmos mudanças”, afirma militante negro estadunidense

Robert Robinson, integrante do movimento Take Back the Land comenta os protestos recentes, as demandas do povo negro estadunidense e os desafios frente a situação de pandemia do novo coronavírus e as eleições presidenciais nos EUA, marcadas para novembro desse ano

| Publicado 25/01/2021

Crime da Vale em Brumadinho: documento do MAB apresenta balanço sobre os dois anos de luta

Relatório elaborado pelo movimento traz um balanço dos principais elementos envolvidos desde o rompimento da barragem que afetou toda a bacia do Rio Paraopeba