Aneel adota bandeira vermelha e conta de luz fica mais cara

Segundo comunicado da agência, os consumidores pagarão R$ 6,243 por 100 quilowatts-hora a partir deste mês. Bolsonaro defendeu medida

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a adoção de bandeira vermelha patamar 2 para a tarifa de luz a partir deste mês, o que significa que a conta de luz ficará mais cara.

Segundo comunicado da agência, os consumidores pagarão R$ 6,243 por cada 100 quilowatts-hora consumidos. A decisão foi tomada em reunião extraordinária na noite desta segunda-feira (30).

Em maio, a Aneel havia decidido manter a bandeira verde até 31 de dezembro deste ano, mas mudou de posição. Segundo a agência, o motivo é a queda no nível de armazenamento no reservatório das hidrelétricas e uma retomada no consumo de energia.

Segundo o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, com a bandeira vermelha os consumidores devem “evitar o desperdício de água e energia”.

Questionado por um seguidor no Facebook, Jair Bolsonaro defendeu o aumento da conta de luz para o consumidor. Segundo ele, sem o reajuste há risco de “apagões”.

“Se nada fizermos poderemos ter apagões. O período de chuvas, que deveriam (sic) começar em outubro, ainda não veio”, escreveu Bolsonaro.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 09/07/2020 por Caroline Oliveira / Brasil de Fato

Energia elétrica mais cara em São Paulo impacta vida de 18 milhões de pessoas

Apesar de a mudança ser legal, especialistas defendem que pandemia deveria ter sido levada em consideração

| Publicado 17/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Nota: Aneel penaliza população e dá aval para concessionárias aumentarem tarifas

Agência reguladora aumentou em26% a Receita Anual Permitida das concessionárias de transmissão, o que vaisignificar aumento de quase 4% nas contas de luz

| Publicado 31/08/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens - São Paulo

Em SP, população atendida pela Elektro terá aumento nas contas de luz acima da inflação

Concessionária de energia que atua nas regiões sul, oeste e leste do estado teve autorização para cobrar aumento de 5% nas tarifas