Pausa na construção da Casa Solidária em Minas Gerais

Em nota, o Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB vem comunicar o adiamento da entrega da Casa Solidária que, devido a crise da pandemia do Covid-19, pausou a construção afim de proteger os trabalhadores e trabalhadoras solidários

A quarentena imposta pelo governo atende as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), na tentativa de diminuir as transmissões e consequentemente, as contaminações pelo vírus.

A Casa Solidária é um produto da Jornada de Luta dos Atingidos: a Vale Destrói, o Povo Constrói, que começou em outubro do ano passado, lembrando os 4 anos do crime da Vale, Samarco e BHP Billiton em Mariana e o 1 ano do crime da Vale em Brumadinho, e que pretende-se finalizar com a entrega da casa.

Essa tinha a proposta inicial de ser entregue em 4 meses, com a primeira data marcada para o dia 21 de março. Com as fortes chuvas que atingiram o estado de Minas Gerais em janeiro e fevereiro desse ano, a cidade de Barra Longa, onde está sendo construída a Casa, teve o rio – atingido pela lama em 2015 e por isso assoreado e contaminado – transbordado, causando destruição e transtornos para a população da cidade. Esse imprevisto atrasou as obras, que não podiam ser feitas com as chuvas, e a nova data de lançamento da casa ficou marcado para o dia 21 de abril.

Agora, com a pandemia do Coronavírus, nossas obras foram, obviamente, paralisadas, com a perspectiva de voltar somente quando as autoridades de saúde responsáveis atestarem a segurança da população em conviver novamente nas ruas. Nós prezamos em primeiro lugar pela saúde do nosso povo, principalmente daqueles que com esforço, empatia e solidariedade estão contribuindo com o MAB e com uma família atingida na construção do nosso símbolo de luta.

A Casa é uma denúncia que nós fazemos à Fundação Renova que, nesses 4 anos e meio desde o crime das mineradoras em Mariana e na bacia do rio Doce, ainda não construiu nenhuma casa de reassentamento coletivo para os atingidos que perderam tudo na lama daquele ano. Mesmo com os imprevistos e sem conseguir entregar em 4 meses o que a Renova não fez em 4 anos, nossa denúncia continua e, em menos de um ano, faremos a entrega a família atingida em Barra Longa.

Como vínhamos anunciando, a Casa Solidária já entrou na fase final, esperando agora o telhado e os acabamentos. Para isso continuamos com a campanha de arrecadação para a compra dos materiais. A campanha está sendo feita através de uma caixinha presente nas comunidades e nos eventos que o MAB participa, e também por transferência na conta bancária, com os dados e descrição da campanha no link: https://mab.org.br/2020/02/03/vale-destr-i-povo-constr-i-contribua-na-constru-da-casa-solid-ria/.

A solidariedade é a principal palavra na construção dessa Casa que chegou até aqui por mãos e dinheiro voluntário. Continuaremos assim até a entrega, contando com a solidariedade do povo e com a contribuição daqueles que, assim como nós, acredita na luta dos atingidos.

Seguimos firmes!

A VALE DESTRÓI O POVO CONSTRÓI!

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 03/02/2020

A Vale Destrói, o Povo Constrói! Contribua na construção da Casa Solidária

Projeto para construção da casa de uma família atingida pelo crime da Vale, Samarco e BHP em Mariana

| Publicado 26/06/2020

Casa Solidária: voltamos a construir!

Retomamos a campanha de arrecadação da Casa Solidária e direcionaremos parte do recurso arrecado para ações de doação de máscaras e cestas básicas para os atingidos da bacia do rio Doce

| Publicado 04/05/2020

Fundação Renova e a violação do direito à moradia

É preciso perguntar como a Fundação Renova consegue fazer uma (não) reparação dessa forma. E para responder a essa pergunta é também preciso lembrar que, na verdade, estamos lidando com empresas: Vale, Samarco, BHP Billiton e a própria Renova