MAB compõe brigada “Petrobrás fica na Bahia” na greve dos petroleiros em defesa da estatal

Desde o dia 25 de novembro, o Movimento dos Atingidos por Barragens compôs a brigada “Petrobrás fica na Bahia” em Salvador com o objetivo de informar a sociedade sobre os […]

Desde o dia 25 de novembro, o Movimento dos Atingidos por Barragens compôs a brigada “Petrobrás fica na Bahia” em Salvador com o objetivo de informar a sociedade sobre os males causados pela privatização das empresas estatais. 




Composta por diretores do Sindipetro Bahia e militantes dos movimentos sociais e sindicais que compõem a Plataforma Operária e Camponesa da Água e Energia, a brigada foi motivada pela greve nacional dos Petroleiros que deu início no dia 25 e foi encerrada dia 26 após uma grande perseguição política do Tribunal Superior do Trabalho apesar de a FUP, Federação Única dos Petroleiros, ter seguido todos os ritos da lei. 


Mesmo com o encerramento da greve a categoria segue mobilizada contra a privatização da Petrobrás, pela manutenção da empresa na Bahia e em defesa dos empregos dos trabalhadores. “Defender a Petrobrás é defender a melhorias de vida para toda a população, desde que iniciou o processo de privatização da empresa os preços do combustível e gás de cozinha dispararam, voltamos a cozinhar com lenha e os preços dos alimentos aumentaram muito devido ao aumento dos combustíveis” afirma Luiz Carvalho da coordenação estadual do MAB. 



Para o Coordenador Geral do Sindipetro Bahia Jairo Batista, os aumentos abusivos são frutos da escolha do governo federal. “A política de preços dos combustíveis criada no governo Temer e mantida por Bolsonaro, relaciona o valor da gasolina, diesel e gás de cozinha à cotação do dólar e do barril de petróleo no mercado internacional, por isso esses derivados estão sendo vendidos a preços exorbitantes”, explica o petroleiro. 


A brigada realizou diversas atividades em Salvador ao longo da semana, panfletagem nas regiões de maior fluxo de pessoas, diálogo com os participantes da 10ª Feira da Agricultura Familiar e aula pública na Universidade Federal da Bahia (UFBA), em parceria com a APUB Sindicato. “A brigada cumpriu um papel fundamental de diálogo com a população, a maioria das pessoas não sabem porque estão pagando tão caro pelo gás de cozinha, que esses aumentos são uma política de governo e não um problema da Petrobrás.



Seguiremos com a campanha Petrobrás fica na Bahia para alertar a população e mostrar que defender a empresa é defender o nosso país contra os interesses estrangeiros” finaliza Tamires Rodrigues da coordenação estadual do MAB. Finalizada nesta sexta-feira (29) a brigada fez parte de um processo de mobilizações que se estenderá permanentemente com o propósito de luta contra as privatizações das estatais.  


Conteúdos relacionados
| Publicado 21/12/2023 por Coletivo de Comunicação MAB PI

Desenvolvimento para quem? Piauí, um território atingido pela ganância do capital

Coletivo de comunicação Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) no Piauí, assina artigo sobre a implementação de grandes empreendimentos que visam somente o lucro no território nordestino brasileiro