Cúpula marca protagonismo dos amazônidas no enfrentamento à emergência climática

Evento contará com a presença de atingidos por barragens de 7 estados da Amazônia

Com lema “Banzeiro das atingidas em Defesa da Amazônia, das Águas e da Vida”, atingidos reforçaram a luta por direitos e a denúncia contra a construção da Hidrovia Tocantins-Araguaia em barqueata. Foto: Jordana Ayres / MAB

Nos dias 8 e 9 de agosto, a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) realizará, em Belém (PA), a Cúpula da Amazônia – IV Reunião de Presidentes dos Estados. O encontro reunirá os líderes dos países membros da organização (Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela) para elaborar estratégias de cooperação e medidas de sustentabilidade e mitigação das mudanças climáticas.

Durante todo o mês de agosto, também acontecerão outras atividades e articulações que precedem a COP-30, a ser realizada no Brasil, em 2025. Entre os eventos programados para o mês estão os Diálogos Amazônicos (04 a 06 de agosto), a Assembleia e Marcha dos Povos da Terra pela Amazônia (07, 08 e 09 de agosto), o Seminário “Desafios da transição energética popular na Amazônia” (06 de agosto) e a Plenária Panamazônica da Via Campesina dia (07 de agosto).

“A Cúpula é a atividade dos Estados. Então, a gente vai fazer um processo de incidência e construir a Assembleia dos Povos da Terra pela Amazônia, com protagonismo do povo e dos movimentos sociais, um seminário para discutir a transição energética que queremos com parceiros e a Plenária Panamazônica da Via Campesina”, explica Francisco Kelvim, integrante da coordenação nacional do MAB. 

Por isso, o MAB terá uma participação ativa na cúpula. “Tendo em vista o papel que a Amazônia tem para regulação do clima no planeta e serviços ecológicos que ela oferece, a Cúpula ganha uma dimensão tão grande quanto as Cops. A expectativa é que a Cúpula da Amazônia resulte em compromissos concretos e ações efetivas para a preservação do bioma”, finaliza Kelvim. 

O MAB está mobilizando atingidos de sete estados da Amazônia, além de parceiros e militantes de outras organizações de outros países da Pan-Amazônia para a participação na Cúpula É o caso de Larissa dos Santos Farias, atingida pela Hidrelétrica de Tucuruí, no município de Cametá, nordeste paraense. 

“Eu irei participar da Cúpula dos presidentes em agosto, porque é muito importante a presença de nós, atingidos, num evento que vai falar sobre a Amazônia, sobre o meio ambiente, a preservação, né? E também debater e marcar outras agendas para que possa haver mais diálogo e mais explicações sobre as mudanças climáticas, os impactos de grandes projetos como a Hidrovia Araguaia-Tocantins, que irá atingir diretamente o município”, alerta Larissa. 

Preparação para a Cúpula dos Povos

Ribeirinhos do Baixo Amazonas participam de banqueta no rio Tocantins. Foto: Jordana Ayres / MAB

Diálogos Amazônicos é uma programação prévia à Cúpula que vai acontecer entre os dias 4 e 6 de agosto, em Belém, no Hangar, e tem o objetivo de convocar a sociedade civil a participar das plenárias e espaços de construção de propostas para os presidentes dos países. 

A Cúpula dos Presidentes da OTCA tem como objetivo fortalecer a cooperação entre os países amazônicos, promovendo ações conjuntas para a preservação da floresta e o desenvolvimento sustentável da região. Durante o encontro, serão discutidos temas como a proteção dos territórios indígenas, o combate ao desmatamento ilegal, a promoção de atividades econômicas sustentáveis e a preservação da biodiversidade.

Leia mais: MAB participa de discussões que subsidiam posição brasileira na IV Cúpula de presidentes da OTCA

Além disso, a cúpula também abordará questões relacionadas à governança ambiental, cooperação científica, turismo sustentável, infraestrutura e energia na região amazônica.  A OTCA, criada em 1995, tem como objetivo promover a cooperação regional e a integração dos países amazônicos. A organização busca conciliar o desenvolvimento econômico com a preservação ambiental, reconhecendo a importância da Amazônia para o bem-estar das populações locais e para o equilíbrio do planeta.

Um dos pontos de destaque da Cúpula será a participação ativa do Brasil, país que abriga a maior parte da Amazônia. O governo brasileiro terá a oportunidade de apresentar suas políticas e ações voltadas para a preservação da floresta e o desenvolvimento sustentável da região. Além disso, espera-se que sejam discutidas parcerias internacionais e a destinação de recursos financeiros para a implementação de projetos de preservação e desenvolvimento sustentável na Amazônia.

A Cúpula da Amazônia também contará com a participação de organizações não governamentais, movimentos sociais e especialistas na área ambiental. Será um espaço de diálogo e troca de experiências, visando a construção de soluções conjuntas e o fortalecimento de ações em prol da preservação da floresta e do bem-estar das comunidades que nela habitam.

Conteúdos relacionados
| Publicado 21/12/2023 por Coletivo de Comunicação MAB PI

Desenvolvimento para quem? Piauí, um território atingido pela ganância do capital

Coletivo de comunicação Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) no Piauí, assina artigo sobre a implementação de grandes empreendimentos que visam somente o lucro no território nordestino brasileiro

| Publicado 19/06/2024 por Roberta Brandão / MAB

MAB vai à Bolívia participar da 11ª edição do Fórum Social Pan-Amazônico (FOSPA) 

Comitiva com atingidos do MAB de Rondônia e Mato Grosso participaram do evento, que reuniu delegações de nove países do território amazônico

| Publicado 04/08/2023 por Coletivo de Comunicação do MAB PA

Atingidos por barragens terão participação ativa na Cúpula da Amazônia

Entre os dias 4 e 9 de agosto, mais de 300 atingidos dos estados da região amazônica seguem rumo a Belém (PA), onde participarão de diversas atividades além da programação oficial da Cúpula

| Publicado 07/08/2023 por Roberta Brandão

Questão dos atingidos será incorporada aos debates multilaterais, garante Marina Silva

Marina Silva discursou no evento Diálogos Amazônicos, que antecede a Cúpula da Amazônia em Belém (PA)