MAB participa de manifestação contra a privatização da água em Porto Alegre

Movimentos sociais e sindicatos se posicionam contra a entrega do DMAE à iniciativa privada

Na última quinta-feira, 9, os militantes do Movimento dos Atingidos por Barragens de de Porto Alegre (RS) participaram de um apitaço contra a privatização do Departamento Municipal de Água e Esgoto da capital – DMAE. O plano de entrega da gestão de água, esgoto e drenagem para a iniciativa privada é um dos carros chefes da gestão do atual prefeito do município, Sebastião Melo (MDB). Segundo o gestor, só a iniciativa privada pode solucionar os problemas causados pelas enchentes.

Os servidores do DMAE, porém, são contrários à privatização e argumentam que a autarquia tem capacidade de desenvolver as obras necessárias, desde que tenha investimentos, autonomia para o desenvolvimento de um plano de Estado e reposição no quadro de funcionários.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre – Simpa, Edson Zomar de Oliveira, a empresa não tem conseguido responder a todas as demandas da cidade, porque foi sucateada nos últimos anos. “A solução não é privatizar, porque o problema não é ser uma autarquia pública. O problema é a falta de investimentos no DMAE”, afirmou.

“Nós temos o entendimento de que saneamento precisa ser um serviço público e não um processo mercantilizado, com estimativa de lucro. E, no caso da drenagem, ela não dá lucro. A prestação desse serviço vai ficar mais precarizada”, complementa Oliveira.

A luta contra a privatização do DMAE é uma das pautas do MAB em Porto Alegre porque o Movimento é contrário à mercantilização da água. Esta pauta já foi entregue para os vereadores do campo progressista do município, que estão defendendo que o departamento continue público e à serviço do povo.

Segundo Isabel Klein, militante do MAB, participar dessa luta é muito importante para que a água continue sendo acessível aos mais pobres. “Mesmo com problemas de abastecimento em algumas comunidades da Lomba do Pinheiro, sabemos que se a companhia for privatizada, aí sim não teremos mais acesso, devido ao preço que as empresas nos cobrarão”, argumenta.

Os atingidos pela Barragem do Sabão estão preocupados, porque a barragem é do DMAE. Isabel questiona: “E se o DMAE for privatizado, como é que vai ficar a barragem? Essa é a nossa pergunta, né!”

Além do DMAE, a Companhia Riograndense de Saneamento – Corsan também entrou na lista das privatizações após a aprovação do Projeto de Lei 211/2021 pela Assembleia Legislativa do estado em agosto do ano passado. Para contestar essa iniciativa do governador Eduardo Leite, movimentos sociais e sindicais farão uma grande manifestação no dia 28 de junho, em Porto Alegre.

*Esta matéria contém informações do portal Sul 21.

Conteúdos relacionados
| Publicado 22/03/2022 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

MAB participa do Fórum Alternativo Mundial da Água – FAMA

No Dia Mundial da Água, começa o fórum alternativo organizado por movimentos sociais de todo o mundo que lutam contra a privatização do recurso

| Publicado 10/12/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Andréia Neiva: a resistência em defesa dos rios no cerrado baiano

Integrante do MAB há quase duas décadas, Andréia se dedica à luta pelo direito à água, resistindo, junto a muitos outros atingidos, à pressão de companhias que querem cercar os rios do oeste da Bahia com dezenas de hidrelétricas

| Publicado 19/11/2021 por Coletivo de Comunicação MAB PR

Atingidos relatam violação ambiental no Oeste do Paraná

Mobilizadas em ato, famílias atingidas denunciam poluição no Rio Andrada, que inviabiliza atividades agrícolas na região. Moradores também participaram de jornada de lutas contra os altos preços da energia elétrica