COMUNIDADES RIBEIRINHAS DO OESTE DA BAHIA REALIZAM ATO CONTRA A UHE VEREDAS, PROJETO DA EMPRESA HY BRAZIL ENERGIA

Empresa de energia enfrenta resistência popular em relação ao projeto de hidrelétrica que pretende construir no Rio Formoso

Foto: Bya Silva/Coletivo de Comunicação do MAB

Na manhã do dia 19 de dezembro, ribeirinhos e ribeirinhas de diversos municípios da região Oeste do estado da Bahia realizaram um ato em Jaborandi (BA), em defesa do Rio Formoso, afluente do rio São Francisco, e contra o projeto de Usina Hidrelétrica (UHE) Veredas, de responsabilidade da empresa Hy Brazil Energia, que atua no setor de geração hidrelétrica.

Desde fevereiro deste ano, a empresa Hy Brazil Energia passou a abordar famílias ribeirinhas e trabalhadores rurais na região, mais especificamente nos municípios de Jaborandi e Coribe, na tentativa de convencer a população local a aceitar a implementação do projeto UHE Veredas no Rio Formoso, com a promessa de gerar emprego e proteger o meio ambiente. 

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), junto às comunidades atingidas, denunciam que o projeto da empresa poderá destruir o rio, responsável por garantir a existência dos municípios e comunidades tradicionais, assim como impedir o sustento das famílias, colocando a vida e história do povo em risco.

Além do MAB, moradores dos municípios de Jaborandi, Coribe, Barreiras, Santa Maria da Vitória, Correntina, Canápolis, São Desidério, Bom Jesus da Lapa, Cocos e São Félix do Coribe, assim como diversas entidades da sociedade civil, entre elas sindicatos rurais, Pastoral do Meio Ambiente (PMA), Movimento Ambientalista Grande Sertão Veredas, 10ENVOLVIMENTO, Conselho Indigenista Missionário (CIMI), Comissão Pastoral da Terra (CPT), União Brasileira de Mulheres (UBM), APLB Sindicato, Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP), Coletivo de Mulheres do Cerrado, a etnia Xacriabá, os parlamentares Sheila Veiga (PT Coribe) e Pedro Neto (PSDB Jaborandi), estiveram presentes no ato.

Temoteo Gomes, coordenador do MAB na região, aponta que o processo de luta continuará até que os direitos dos atingidos e atingidas sejam respeitados. “O ato acontece em defesa do Rio Formoso, rio esse que sustenta a vida dos ribeirinhos aqui da região. Também para denunciar aquilo que a empresa Hy Brazil Energia tem feito nas comunidades. Dizemos mais uma vez, não a esse projeto de morte, não à hidrelétrica Veredas, e sim a vida dos ribeirinhos. A luta vai continuar!”, afirma.

Em entrevista à Rádio Coribe FM, no dia 09 de dezembro,  Davi Schulmann Miguens, coordenador de desenvolvimento de projetos da Hy Brazil Energia, afirmou que o projeto de hidrelétrica prevê a construção de um lago de 537 hectares, ameaçando a existência das comunidades tradicionais e violando direitos humanos básicos como o direito às práticas e aos modos de vida tradicionais, o acesso e preservação de bens culturais, materiais e imateriais.

O ato é mais uma das ações de resistência que as comunidades atingidas do Rio Formoso vêm construindo ao longo dos anos. Reafirma o histórico de lutas da região e a necessidade constante de organização popular frente aos grandes empreendimentos que colocam o lucro acima da preservação do meio ambiente, do direito das populações atingidas e da vida. O MAB segue na resistência com os ribeirinhos e ribeirinhas e afirma que água e energia não são mercadorias.

Conteúdos relacionados
| Publicado 13/12/2021 por Coletivo de Comunicação MAB BA

Atingidos do Oeste da Bahia denunciam assédio e violação de direitos por parte da empresa HY Brazil Energia

Empresa de energia que pretende construir hidrelétrica no Rio Formoso entrou em propriedades das comunidades ribeirinhas sem autorização

| Publicado 09/02/2022 por Coletivo de Comunicação MAB BA

Abertura de comportas de barragens no Rio São Francisco causa inundações em Juazeiro (BA)

A Chesf emitiu alerta sobre maior vazão dos últimos 13 anos, que também deve atingir municípios de Pernambuco, Alagoas e Sergipe

| Publicado 17/02/2022 por Coletivo de Comunicação MAB BA

Audiência pública convocada por Brigada de Solidariedade em Jequié (BA) ouve atingidos por enchentes

Durante audiência, movimentos sociais reivindicaram o envolvimento da população na elaboração do plano de reparação de danos causados por chuvas e abertura de comportas da CHESF