MAB denuncia impactos de Belo Monte na CPI que investiga a Vale no Pará

Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) reivindica reassentamento para as famílias de Lagoa Independente I ainda não reconhecidas e o acesso ao serviço de saneamento básico para todos os atingidos, entre outras pautas

Nessa sexta-feira (19), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Pará, que investiga a mineradora Vale S.A, realizou uma audiência pública em Altamira (PA) para escutar os atingidos por Belo Monte. A Vale possui 9% da empresa Norte Energia S.A, dona da UHE Belo Monte.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) participou da audiência e denunciou o não cumprimento da condicionante de implementação de 100% do saneamento básico nas ´áreas de reassentamento. “Essa condicionante foi a maior promessa da Norte Energia e é um condicionante desde da licença de instalação”, afirma Jackson Dias, integrante da coordenação do Movimento.

Durante a sessão, o MAB também denunciou a violação dos direitos das famílias atingidas que residem na área da Lagoa do Independente I. Ao longo dos últimos seis anos, a luta do MAB resultou no reconhecimento de cerca de 600 famílias, mas ainda restam 370 famílias para serem reconhecidas como atingidas.

Outra denúncia realizada foi sobre o desvio de 80% do Rio Xingu na Volta Grande para gerar energia nas turbinas de Belo Monte. Nessa região, residem centenas de famílias indígenas e ribeirinhas, que vivem da pesca e da agricultura, dependendo totalmente do rio para suas atividades.

Houve ainda uma denúncia relacionada aos reassentamentos urbanos coletivos (RUCs), tanto pela falta de água nos RUCs Laranjeiras, São Joaquim e Jatobá, como também pela demora na finalização do RUC Tavaquara (Pedral).

A CPI seguirá realizando audiências públicas, escutando os atingidos da Vale no estado do Pará e fiscalizando a rota do dinheiro da empresa. No ano de 1997, a mineradora Vale do Rio Doce foi privatizada e nos anos de 2015 e 2019 casou o rompimento das barragens de rejeitos em Mariana e Brumadinho respectivamente.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 31/08/2021

Atingidos por Belo Monte denunciam falta d’água em reassentamento de Altamira (PA)

Segundo a prefeitura do município, a responsabilidade pelo abastecimento de água tratada nos reassentamentos é da empresa Norte Energia

| Publicado 19/11/2021 por Coletivo de Comunicação MAB PR

Atingidos relatam violação ambiental no Oeste do Paraná

Mobilizadas em ato, famílias atingidas denunciam poluição no Rio Andrada, que inviabiliza atividades agrícolas na região. Moradores também participaram de jornada de lutas contra os altos preços da energia elétrica

| Publicado 27/08/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Agricultores familiares atingidos por Belo Monte protestam na Vara Agrária de Altamira

Ordem de reintegração de posse contra agricultores de Anapu (PA) pode deixar 56 famílias desabrigadas