Nota de solidariedade à CPT pela perda de Dom André de Witte

Foi um bispo lutador, camponês e missionário, sempre tendo sua missão ligada aos temas do campo, da ecologia e da vida.

O Movimento dos Atingidos por Barragens vem por meio desta nota prestar toda solidariedade ao povo da Diocese de Ruy Barbosa (BA) e toda a Comissão Pastoral da Terra (CPT) pela perda de seu presidente e referencial, Dom André de Witte, que faleceu deste domingo (25).

Dom André já era bispo emérito e dedicava seus últimos anos a atuar como presidente da CPT e membro missionário. Ele havia completado 75 anos no dia 31 de dezembro de 2019 e teve seu pedido de renúncia aceito pelo Papa Francisco no dia 15 de abril do ano passado.

Foi um bispo lutador, camponês e missionário, sempre tendo sua missão ligada aos temas do campo, da ecologia e da vida. Uma voz com mais de 45 anos dedicados à igreja no Brasil.

Dom André nasceu na Bélgica em 1944 e foi ordenado sacerdote em 6 de julho de 1968. Formou-se como engenheiro agrônomo na universidade de Lovaina e estagiou como vigário cooperador na paróquia de Zwijndrecht.

Em 12 de fevereiro de 1976, chegou ao Brasil para trabalhar na Diocese de Alagoinhas (BA). Iniciou sua missão no período da luz do Concilio Vaticano II e das conferências de Medellín (1968) e Puebla (1979). Tais acontecimento na igreja certamente marcaram profundamente sua vida e guiaram seu ministério e seu pastoreio. Foi um padre missionário camponês, que colocou sua vida a serviço dos mais pobres e necessitados.

Para o MAB, foi uma das vozes do povo nordestino, sofrido e lutador. Foi um grande referencial para os pobres e marginalizados, viveu seu testemunho, profético e missionário, e não por acaso seu lema episcopal foi “Cristo Sempre”.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 25/04/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Nota | Um mês de rompimento em Aurizona: uma população refém da lama tóxica da mineradora Equinox Gold

Completa-se um mês do rompimento da barragem da empresa Equinox Gold em Aurizona; mineradora continua negando rompimento e sistematicamente violando direitos dos atingidos

| Publicado 27/04/2021

Nota | Água é um direito: somos contra a privatização da empresa CORSAN, no RS

Para avançar com a privatização, o poder legislativo quer aprovar nesta terça-feira (27), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, a PEC 280/2020, que retira a obrigatoriedade do plebiscito popular para venda das estatais

| Publicado 28/04/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Carta aberta de juristas brasileiros sobre o caso do rio Doce

MAB, em articulação com juristas, denuncia uma situação jurídica complexa na bacia atingida pelo crime em Mariana, onde violações de direitos permanecem