MAB lança Jornada de lutas para denunciar 5 anos de injustiça com atingidos pelo crime em Mariana (MG)

Do dia 5 de outubro ao dia 5 de novembro, atingidos seguem programação de lutas da jornada “Vale com a injustiça nas mãos: 5 anos sem reparação na bacia do Rio Doce”

Cinco anos após o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), a morosidade da justiça em promover a reparação aos atingidos continua. Pior do que isso, ao invés de atuar na proteção das vítimas do crime de responsabilidade das empresas Vale, Samarco e BHP Billiton, a esfera judicial se alinha totalmente às vontades das mineradoras e ignora as possibilidades de promoção da justiça com a participação efetiva dos atingidos por barragem em Minas Gerais e no Espírito Santo. 

Para denunciar a atual situação de descaso judicial e a permanente “enrolação” da Fundação Renova, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) organiza a Jornada de Lutas: “Vale com a injustiça nas mãos: 5 anos sem reparação na bacia do Rio Doce”. Pela primeira vez, em novo formato por conta da pandemia do coronavírus, o evento ocorre com ações virtuais e algumas presenciais (respeitando as medidas de proteção e distanciamento social). Serão lives, debates, ações virtuais, atos simbólicos para debater este importante tema dos Direitos Humanos no Brasil.
  
Os problemas causados a partir do crime, que tirou a vida de 20 pessoas e causou impactos profundos no meio ambiente da bacia do Rio Doce, são muitos: falta de emprego e renda; ausência de acesso a serviços de saúde, já que com a contaminação do rio, a população começou a apresentar vários novos problemas de saúde; e poucas opções de lazer a partir da destruição do rio. 

Com a perspectiva de fornecer dados e informações seguras aos atingidos para que a luta possa avançar no sentido de uma reparação integral, é preciso que haja a contratação de Assessorias Técnicas, porém, aparentemente, este é outro ponto de conflito, já que a Justiça não toma providências para que os trabalhos possam ser realizados. Outro ponto que causa estranhamento no atual posicionamento da Justiça é a contratação de uma empresa norte-americana (AECOM), parceira da Vale, para realizar os trabalhos de perícia técnica, que deveriam ser imparciais.  

PROGRAMAÇÃO: “Vale com a injustiça nas mãos: 5 anos sem reparação na bacia do Rio Doce”

5 de outubro:
10h Seminário com o ex-relator da ONU: atingidos por barragens e a violação de direitos humanos à saúde (virtual)
19h Live de lançamento da Jornada

8 de outubro:
18h30 I Encontro Online dos Atingidos e Atingidas do Rio Doce: justiça só com organização popular e luta por direitos (não aberto ao público externo)

30 de outubro:
Inauguração da Casa Solidária (presencial)

31 de outubro:
14h Ato Político Cultural das Mulheres Atingidas em Defesa da Vida (virtual)

3 de novembro:
(horário a definir) Ato Internacional: violação dos direitos dos atingidos por barragens no mundo (virtual)

5 de novembro: 
Dia de luta – ações que marcam os 5 anos do crime (virtual e presencial)

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 06/10/2020 por Coletivo de Comunicação MAB MG

Atingidos realizam ato no TJMG e reivindicam continuidade de Auxílio Emergencial na bacia do Paraopeba

Atingidos pelo crime da Vale em Brumadinho se organizaram na porta do TJMG em luta pelo Programa Direito e Renda, que garante a continuidade do auxílio emergencial e o aumento da abrangência territorial

| Publicado 22/09/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens - Espírito Santo

Quem ganha com a não contratação das Assessorias Técnicas no Rio Doce?

Passado mais de um ano da homologação da contratação das Assessorias Técnicas, empresas e judiciário cozinham o direito dos atingidos em fogo baixo

| Publicado 04/05/2020

Fundação Renova e a violação do direito à moradia

É preciso perguntar como a Fundação Renova consegue fazer uma (não) reparação dessa forma. E para responder a essa pergunta é também preciso lembrar que, na verdade, estamos lidando com empresas: Vale, Samarco, BHP Billiton e a própria Renova