Ameaçados por Garabi e Panambi protestam contra a construção das obras

  Na manhã desta quarta-feira (10), os ameaçados pela construção do Complexo Hidrelétrico Binacional Garabi e Panambi realizaram uma marcha nas ruas do município de Alecrim (RS), contra a construção […]

 

Na manhã desta quarta-feira (10), os ameaçados pela construção do Complexo Hidrelétrico Binacional Garabi e Panambi realizaram uma marcha nas ruas do município de Alecrim (RS), contra a construção das barragens.

Os atingidos estão cobrando dos governos, brasileiro e argentino, esclarecimento sobre a construção das hidrelétricas, previstas para os municípios de Garruchos e Alecrim, na fronteira entre Brasil e Argentina.

As famílias afirmam que um dos principais problemas que enfrentam é a falta de informação, pois até agora não existe diálogo entre a população e as empresas. Por isso, defendem a criação de uma Política de Direitos das Populações Atingidas por Barragens.

Segundo Neudicléia de Oliveira, da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), hoje em dia, mesmo com tantas barragens construídas, não existe uma política adequada que trate dos direitos dos atingidos. “Nessa região a população ribeirinha sofre com a falta de informação sobre o andamento dos projetos e a preocupação maior das famílias atingidas é não haver uma política de tratamento que cuide e garanta as indenizações e os direitos”, afirmou.

Novas mobilizações estão previstas para esta quinta-feira (11) em Porto Mauá e Santa Rosa na região noroeste do estado.