Renovação das concessões de energia é tema de seminário no RS

Cerca de 700 pessoas, entre atingidos por barragens, trabalhadores do setor elétrico, metalúrgicos e petroleiros estão participando nesta manhã (05/06) do Seminário para lançamento da Campanha pela Renovação das Concessões […]

Cerca de 700 pessoas, entre atingidos por barragens, trabalhadores do setor elétrico, metalúrgicos e petroleiros estão participando nesta manhã (05/06) do Seminário para lançamento da Campanha pela Renovação das Concessões do Setor Elétrico, que vencem nos próximos anos.

Entre hoje e amanhã o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realiza seminários e mobilizações em diversos estados brasileiros para pressionar o governo federal para que cumpra os acordos firmados na jornada nacional de lutas do 14 de março, quando estabeleceu metas para o pagamento da dívida histórica do estado brasileiro para com os atingidos por barragens. As ações nos estados também agregam demandas regionais e pautam a renovação das concessões do setor elétrico.

Em Porto Alegre, a atividade está acontecendo no Teatro Dante Baron, da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, e é organizada pelas entidades articuladas na Plataforma Operária e Camponesa para a Energia, à saber: o Sindicato dos Trabalhadores do Setor Elétrico (Sinergia), o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), a Central Única dos Trabalhadores (CUT-RS), a Federação dos Metalúrgicos do Rio Grande do Sul, o Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Sul e o Sindicato dos Engenheiros.

Pela manhã, lideranças dos movimentos sociais e sindicais, parlamentares e representantes do poder executivo estão reafirmando seu compromisso pela renovação das concessões. No entendimento da Plataforma, a não renovação das concessões – ou seja, a realização de novos leilões – abre uma brecha para privatizar ainda mais o setor elétrico brasileiro, pois muitas das concessões que vão vencer pertencem a estatais como a CEEE, CGTE, CELESC, COPEL, ENERSUL, entre outras.

Para os trabalhadores e atingidos, a energia é de vital importância para o desenvolvimento econômico e social e precisa continuar “nas mãos” do Estado e não de grupos privados nacionais ou estrangeiros através de um nova onda de privatização do setor.

“É preciso que a sociedade organizada lute pela renovação das concessões estatais de energia e contra a privatização, como forma de garantir soberania nacional, crescimento, desenvolvimento econômico e social com sustentabilidade, gerando emprego e renda, diminuindo as desigualdades regionais e oferecendo a milhões de brasileiros e brasileiras uma vida digna e justa”, afirmou Marco Antonio Trieiveiler, da coordenação do MAB.

Pela parte da tarde haverá concentração em frente ao Palácio Piratini para leitura do manifesto em defesa da renovação das concessões do setor elétrico. Os organizadores pretendem entregar o manifesto ao governador Tarso Genro.