Governo federal marca audência com a Via Campesina nesta sexta-feira

O governo federal marcou uma audiência com a Via Campesina nesta sexta-feira, às 11h, no Palácio do Planalto, para dar uma resposta à pauta apresentada nas mobilizações desta semana. Os […]

O governo federal marcou uma audiência com a Via Campesina nesta sexta-feira, às 11h, no Palácio do Planalto, para dar uma resposta à pauta apresentada nas mobilizações desta semana.


Os ministros Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais) participam da reunião com uma comissão da Via Campesina. Os trabalhadores rurais acampados em Brasília, além dos mobilizados em 19  estados, esperam o atendimento das exigências para encerrar a jornada de lutas.


“Temos tido boas reuniões com o governo. A questão é que o diálogo não tem sido traduzido em ação. Essa é nossa insatisfação, essa é nossa indignação. O governo precisa transformar o diálogo em ação concreta para resolver”, disse o coordenador do MST, Valdir Misnerovicz.



As principais pautas em negociação referem-se ao assentamento imediato das 60 mil famílias acampadas, a recomposição do orçamento do Incra para obtenção terras e a renegociação das dívidas da agricultura familiar, composta em R$ 30 bilhões. Os R$ 530 milhões para desapropriações de terras para 2011 já foram executados e o orçamento para o ano que vem pode sofrer um corte de R$ 65 milhões.

Os trabalhadores cobram medidas contra o fechamento de  escolas no meio rural. Nos últimos oito anos, mais de 24 mil foram fechadas no meio rural, segundo dados do Censo Escolar do INEP/MEC (2002 a 2009), e da Pesquisa de Avaliação da Qualidade dos Assentamentos da Reforma Agrária INCRA (2010).


Hoje, os integrantes da Via Campesina que participam do acampamento nacional em Brasília marcharam do estádio Nilson Nelson até o Ministério da Fazenda, onde permanecem em vigília enquanto ocorrem as negociações. O acampamento integra a Jornada Nacional de Lutas que acontece em todo o Brasil desde o dia 22 de agosto, com dezenas de mobilizações em pelo menos 17 estados.


A Via Campesina é uma articulação internacional de movimentos sociais camponeses. No Brasil, é integrado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento dos Pescadores e Pescadoras, Quilombolas, Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Movimento de Mulheres Camponesas (MMC), Conselho Indigenista Missionário (CIMI), além do Sindicato dos Trabalhadores da EMBRAPA (Sinpaf), da Federação dos Estudantes de Agronomia e da Associação Brasileira dos Estudantes de Engenharia Florestal.