Atingidos por barragens inauguram projetos de biodigestores

Acontece amanhã, dia 8 de dezembro, no município de Itapiranga/SC, o ato de inauguração e entrega das primeiras dez unidades de biodigestores do Projeto Alto Uruguai e a assinatura do […]

Acontece amanhã, dia 8 de dezembro, no município de Itapiranga/SC, o ato de inauguração e entrega das primeiras dez unidades de biodigestores do Projeto Alto Uruguai e a assinatura do termo de compromisso para geração de energia elétrica entre a Eletrosul e a Associação Bioenergia.

O Projeto Alto Uruguai foi uma iniciativa do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), construído em parceria com a Eletrobrás, Eletrosul, Unochapecó, Universidade Federal do Rio de Janeiro – IPPUR e com as prefeituras dos 29 municípios da região, sendo 10 do estado do Rio Grande do Sul e 19 de Santa Catarina. Ao todo serão instaladas 35 unidades de biodigestores em toda a área de abrangência do projeto.

É importante ressaltar a criação do primeiro Grupo de Agricultores Brasileiros que farão a Geração de Energia Elétrica, tendo controle de todo o processo de produção de eletricidade, garantindo a produção para o seu consumo e vendendo o excedente. O biogás, além de ser uma fonte de produção de eletricidade e de resolver um sério problema ambiental, também será um forte agregador de renda dentro da propriedade garantindo a melhor eficiência e otimizando a produção e agregando renda e qualidade de vida as famílias.

Cerca de cinco mil famílias tiveram acesso a energia elétrica através das ações do projeto e cinco municípios selecionados foram contemplados com 40 placas solares para aquecimento de água que serão instaladas em prédios públicos. “Nesse momento em que as ações estão se concretizando, o MAB aproveita para prestar seu agradecimento a todas as entidades que acreditaram nessa idéia e que nós ajudaram a transformar esse sonho em realidade. Destacamos que esse é apenas um passo, temos convicção de que a caminhada é longa, mas o que nos motiva é a certeza de estarmos no caminho certo”, disse um dos coordenadores.

Histórico do projeto

O projeto Alto Uruguai surgiu no ano de 2003 através de uma iniciativa do MAB que, ao questionar a construção de barragens, propôs uma fonte alternativa de produção de energia, de forma verdadeiramente limpa, transformando um grande problema ambiental que são os dejetos de suínos em uma excelente alternativa de produção de energia, ou seja, transformando um grave problema social e ambiental em uma fonte de produção de energia.

Este é um projeto piloto que desenvolve ações em várias áreas, sendo que já foram capacitados mais de 1300 professores das redes municipal e estadual dos municípios que fazem parte do projeto, envolvendo mais de 14 mil alunos. Também foram desenvolvidos os Planos de Gestão e Eficiência Energética onde foi feito o levantamento de todo o consumo de energia dos prédios públicos 29 municípios que poderão substituir os equipamentos antigos por novos sem ter custo algum.

Os próximos passos serão a instalação de sistemas de utilização de biogás em todas as propriedades beneficiadas juntamente com a instalação de uma central para produção de eletricidade através do biogás excedente do consumo das propriedades, e estamos acertando um convênio de assistência técnica para essas unidades, bem como a expansão dessa experiência para mais 40 municípios de Santa Catarina.

“Temos clareza de que muito já foi feito e hoje construímos um grande referencial. Nosso desafio é desenvolver um modelo de biodigestor acessível a toda a população, para que possamos construir circuitos fechados de produção e consumo de energia elétrica, tornando comunidades, municípios e regiões inteiras auto-suficientes”, finalizou o coordenador.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho