Grito dos Excluídos deste 7 de setembro leva a voz do ‘coração do povo’ para as ruas do país

No mesmo dia em que Bolsonaro e apoiadores preparam atos em Brasília, Rio e São Paulo, movimentos sociais, sindicais e religiosos gritam por democracia e questionam os 200 anos de independência incompleta

Nas ruas desde 1995, em contraponto às manifestações nacionalistas evocadas por militares para o 7 de setembro, o Grito dos Excluídos e Excluídas volta a marchar por todo o país nesta quarta-feira (7), feriado da Independência. Com o lema “Vida em primeiro lugar”, que se tornou permanente desde que a pandemia de covid-19 escancarou o descaso do governo de Jair Bolsonaro (PL) com a saúde da população brasileira, os movimentos populares, religiosos e sindicais, que encabeçam a mobilização social, também questionam nesta quarta, que será a 28ª edição do Grito dos Excluídos e Excluídas, os 200 anos desse Brasil considerado independente. “(In)dependência. Para quem?”, apontam em mote (confira a lista de atos ao final deste texto).

25º edição do Grito dos Excluídos em São Paulo. Foto: Francisco Kelvim/MAB.

O tema, escolhido pela Conferência Nacional dos Bispos no Brasil (CNBB), faz referência à situação dos povos negros, LGBTQIA+, mulheres, das comunidades quilombolas e indígenas, e das populações rurais, periféricas e em situação de rua. Setores da população que, ao longo de toda a história, vêm lutando pela cidadania dentro de uma independência que nunca se completou. 

7 de setembro em disputa

Esta edição das manifestações populares, contudo, também marca um contraponto aos atos convocados por Bolsonaro e as comemorações com o coração de Dom Pedro I, trazido de Portugal para Brasília. 

Diferentemente do “Grito do Ipiranga”, o tradicional “Grito dos Excluídos e Excluídas” virá do “coração do povo”, como destaca dom José Valdeci Santos Mendes, bispo da diocese de Brejo, no Maranhão. “Nosso grito não vem de alguém que está montado em um cavalo, às margens de um rio. O nosso grito é com os excluídos e excluídas. É o grito também do rio que está sendo aterrado e envenenado. É também o grito das florestas que estão sendo derrubadas, e de tantos irmãos e irmãs que lutam por vida e vida com dignidade. Esse nosso grito vem do nosso coração, que está no nosso corpo”. 

O Grito dos Excluídos e Excluídas tem marchas previstas em todo o país. 

Confira a programação

Acre

  • Rio Branco: 7h, em frente à Catedral Nossa Senhora de Nazaré (Centro) 

Alagoas

  • Maceió: 8h, Igreja Virgem dos Pobres

Amapá

  • Macapá: 9h na Igreja São José Laranjal do Jari; 8h30 na Igreja Perpétuo Socorro

Bahia

  • Salvador: às 8h30, no Campo Grande (Concentração)
  • Senhor do Bonfim: Roda de Conversa, das 9 às 12h, no Sindiferro – Senhor do Bonfim.
  • Campo Formoso: 19h30, via internet, com a participação dos movimentos sociais

Ceará

  • Fortaleza: 9h, ao lado do terminal do Lagoa, na Parangaba
  • Crato: 8h, concentração na Praça São Vicente, no Santuário Eucarístico
  • Juazeiro: 16h, celebração ecumênica na Praça Monsenhor Joveniano Barreto, em frente à Igreja dos Franciscanos

Espírito Santo

  • Vitória: 8h na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) – Campus Goiabeiras, e às 9h, na Praça Vaz Melo

Goiás

  • Goiânia: 9h, na Praça José Bonifácio

Mato Grosso

  • Cuiabá: 7h30, na Praça do Rosário com caminhada à Praça do Ipiranga Rondonópolis: 8h no Sindicato dos Bancários (Rua 13 de Maio, 1123)

Mato Grosso do Sul

  • Dourados: 7h, concentração na Rua Melvin Jones, com a Avenida Marcelino Pires

Maranhão

  • Bacabal: 8h, Igreja São Raimundo Nonato
  • Caxias: 17h, caminhada reunindo as paróquias das 5 cidades que integram a Diocese de Caxias. Encerramento com missa, na Paróquia com a festa de N. S. de Nazaré. Timon: 6h30, na Diocese Duque de Caxias

Minas Gerais

  • Belo Horizonte: 9h, na Praça Vaz Melo/Passarela da Lagoinha
  • Montes Claros: 8h30 Praça do Bairro Maracanã, seguindo para a Cozinha Solidária do Bairro Itatiaia

Pará

  • Belém: 7h30, caminhada a partir da Praça Catedral Prelazia do Alto Xingu-Tucumã: Concurso de Redação nas escolas municipais sobre o tema ” Vida em primeiro lugar”
  • São Félix do Xingu: ato público com caminhada, concentração na praça do CEU
  • Tucumã: 7h30 Praça Catedral com caminhada até a Praça Ronan Magalhães

Paraíba

  • Campina Grande: Praça Clementino Procópio, durante o dia

Paraná

  • Curitiba: na Vila União (Comunidade do Tatuquara)

Pernambuco

  • Recife: 9h, no Parque 13 de Maio

Piauí

  • Teresina: 8h, em frente à Assembleia Legislativa
  • Parnaíba: Além da IV Semana Social da Diocese de Parnaíba, promovida pelas Pastorais Sociais e Caritas Diocesana de Parnaíba, missa de abertura, às 18h30, no festejo da Padroeira Mãe da Divina Graça

Rio de Janeiro:

  • Na capital fluminense, às 9h – concentração na Uruguaiana com Presidente Vargas
  • Nova Friburgo: 15h, Praça do Paissandu

Rio Grande do Norte

  • Mossoró: 7h, no Ginásio Pedro Ciarlini

Rio Grande do Sul

  • Porto Alegre: 9h, em frente à Igreja São José do Murialdo (bairro Partenon)
  • Pelotas: 9h no Largo da Bola (CCS/Universidade Federal de Pelotas)

Rondônia

  • Porto Velho: 16h, no Centro Político Administrativo

Roraima

  • Boa Vista: caminhada na periferia, à tarde; realização de oficinas de cartazes; criação de uma rede social específica para o Grito.

Santa Catarina

  • Joinville: 15h, Comunidade Santa Dulce dos Pobres/Paróquia Nossa Srª Belém

São Paulo

  • Na capital paulista, o ato “Terra, teto, trabalho e democracia – Pão e viver bem!”, na Praça da Sé, às 9h, integra o calendário de mobilizações nacionais do Grito dos Excluídos 2022
  • Alto Tietê: Diocese de Mogi das Cruzes, em Mogi das Cruzes: concentração 8h30, na Catedral de Sant´Ana, com apresentação das pastorais sociais e movimentos populares. Missa às 9h, com o bispo D. Pedro Luís Stringhini, caminhada até o Largo do Rosário onde haverá manifestações populares das lideranças por Direitos, Liberdade dos Povos e Democracia
  • Americana: Celebração ecumênica e ato em bairro da periferia
  • Aparecida: 6h, na Praça Nossa Senhora Aparecida, em frente à Basílica história (velha)
  • Campinas: 9h, Largo do Pará
  • Santos: Grito na Baixada na Zona Noroeste, concentração no sambódromo
  • Itupeva, 10h, celebração do Grito na Igreja Santo Antônio
  • Itapeva, 10h, Praça de Eventos
  • Jundiaí : 10h, na Igreja Santo Antônio
  • Santo André: 9h30, missa na Igreja Matriz de Santo André, seguida por uma caminhada até a Praça do Carmo, onde será realizado o Grito, com ato político e celebração inter-religiosa, com participação de indígenas, movimentos de matriz africana e representantes evangélicos, representantes de movimentos de moradia, povo de rua, refugiados, afrodescendentes, carroceiros e outros
  • São José dos Campos: Praça Afonso Pena
  • Piracicaba: 8h, Praça José Bonifácio
  • Taubaté: 15h, Catedral de São Francisco das Chagas

Sergipe

  • Aracaju: 8h, celebração litúrgica e caminhada com concentração na Polícia Rodoviária Federal (lembrando do caso Genivaldo) e terminando na praça em frente à Paróquia São Francisco de Assis, bairro Santos Dumont

Tocantins

  • Araguaína: 7h30, Praça Luís Orione
Conteúdos relacionados
| Publicado 05/09/2022 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Exposição Arpilleras teve destaque no evento Baile na Terra que celebrou o Dia da Amazônia em São Paulo

Sete capitais brasileiras realizaram eventos culturais com o intuito de chamar a atenção para necessidade de preservação da Amazônia

| Publicado 05/09/2022 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Maior floresta tropical do mundo está sob risco na gestão Bolsonaro: entenda em 5 pontos

05 de setembro é Dia da Amazônia: floresta está sendo destruída em ritmo acelerado desde início do governo Bolsonaro

| Publicado 07/09/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

MAB se junta ao Grito dos Excluídos em manifestações por todo o País

Grito dos Excluídos aconteceu durante manifestações Fora Bolsonaro, no feriado do 7 de setembro, denunciando violações de direitos básicos da população