NOTA FETAGRI-PA | Ameaças não nos intimidam!

Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Pará denuncia ameaças e atentado sofridos pela vice-presidenta da organização e cobra apuração do caso por parte das organizações competentes.

Ao nosso público: agricultores e agricultoras familiares, aos trabalhadores e
trabalhadoras rurais, inclusive os assalariados e assalariadas rurais.

Foto: Arquivo Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

A FETAGRI-PA vem denunciar as graves e covardes ameaças, de autoria desconhecida, cujo autor ou autora se esconde atrás do manto do anonimato, desferindo ameaças através do uso do aplicativo Whatsapp, contra a diretora desta entidade sindical, GISLANE SOUSA SOARES, uma jovem liderança, que ocupa os cargos de vice-presidenta e secretária de juventude rural, eleita democraticamente em congresso da categoria, e que, portanto, representa um setor da sociedade, o que, por si só já a torna digna de respeito e consideração.

A FETAGRI-PA torna claro e público que as ameaças desferidas contra sua diretora, estão sendo alvo de apuração, pelos órgãos competentes e tudo está sendo feito para garantir a segurança e integridade física e psicológica da ameaçada e de seus familiares. Inclusive efetivando a denúncia e o registro do atentado a tiro contra a residência da vítima, ocorrida no dia 21 de junho. Esse atentado foi registrado na DP de Ourilândia do Norte e o projétil foi recolhido para perícia. A FETAGRI-PA reafirma o seu compromisso em defesa da vida, da paz e da ordem democrática e a sua disposição de não se intimidar e nem se acovardar diante deste tipo de práticas que só contribui para tonar ainda mais violento e nebuloso o cenário que nos cerca.

Finalmente a FETAGRI-PA se solidariza com os familiares, amigos/as, com as
regionais Sul e Sudeste e com todos os sindicatos filiados da base regional da Diretora Gislaine que vem demonstrando uma disposição singular no trabalho frente à secretaria que ocupa e a FETAGRIPA, através de sua diretoria estará sempre ao lado de nossa companheira, neste momento difícil e de aprendizado. Por último, a FETAGRI-PA reafirma sua firme convicção na capacidade dos órgãos competentes de investigar, apurar e punir o autor ou autora de tais ameaças e desde já agradece a todos os órgãos de segurança onde buscou amparo legal em defesa da vida e da segurança da nossa Diretora GISLANE SOUSA SOARES. Agradece também à todas as pessoas, entidades e organizações que estão se juntando a nós e assinam esta Nota em defesa da nossa companheira:

CONTAG – Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares;
CUT-PA – Central Única dos Trabalhadores-Pará;
FETERPA – FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES
RURAIS ASSALARIADOS E ASSALARIADAS DO ESTADO DO PARÁ;
CPT – Comissão Pastoral da Terra;
MAB – Movimento dos Atingidos por Barragem;
MMNEPA – Movimento de Mulheres do Nordeste Paraense;
FVPP – Fundação Viver Produzir e Preservar;
MST – Movimento dos Sem Terra; Levante Popular da Juventude;
MCP – Movimento Popular Camponês.

Além dos órgãos de segurança pública que foram acionados.

E fique bem claro que a nossa companheira GISLAINE não está sozinha nesta luta!

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 20/07/2021 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Condolências pela morte de sete trabalhadores terceirizados da Engie no Pará

Queda de torres de transmissão é um retrato da precarização a que estão submetidos os trabalhadores conforme avança a privatização no setor elétrico

| Publicado 06/08/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Atingidos por Belo Monte e trabalhadores da Norte Energia protestam por direitos

Entre as reivindicações estão questões trabalhistas, demandas de indenização e o reassentamento de famílias atingidas pela inundação da área da lagoa do bairro Jardim Independente I em Altamira (PA).

| Publicado 04/08/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Joelisia Feitosa: o sonho e a luta por justiça para os atingidos de um dos maiores crimes socioambientais do país

Natural de Juatuba (MG), Joelisia nasceu e cresceu na beira do Rio Paraopeba, onde pretendia desfrutar de sua aposentadoria depois de uma vida dedicada à militância e ao sindicalismo no serviço público. Quando esse momento chegou, ela viu a lama-rejeito da Mina Córrego do Feijão invadir o rio da sua infância e soterrar a região com incertezas, medos e inseguranças. “Ao invés de descansar, tive que arregaçar as mangas e voltar à luta ”.