NOTA | MAB repudia Termo construído entre Ministério Público de Minas Gerais e mineradora SAM sem participação de comunidades tradicionais atingidas

MP sobrevoa território de comunidades tradicionais do norte de Minas, onde empresa Sul Americana de Metais S/A (SAM) pretende instalar Bloco 8, megaprojeto de mineração

O Procurador Geral de Minas Gerais, Sr. Jarbas Soares Júnior, cumprirá agenda na região Norte de Minas hoje, 08.  Segundo nota divulgada, o propósito é discutir o fim dos lixões na região. A maior parte da agenda do Procurador na região, porém, será destinada a tratar de questões relacionadas ao Bloco 8, megaprojeto de mineração que a empresa Sul Americana de Metais S/A (SAM) pretende instalar dentro do território das Comunidades Tradicionais Geraizeiras dos municípios de Grão Mogol, Padre Carvalho e Josenópolis.

No dia 24 de maio, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) já havia feito um Termo de Compromisso com a SAM, sem qualquer participação ou consulta às comunidades que serão diretamente atingidas pela atividade. Respaldada pelo Termo, a SAM retornou ao território e tem feito visitas domiciliares em plena pandemia, violando flagrantemente os dispositivos legais e as recomendações relativas às medidas de proteção das comunidades tradicionais em relação ao COVID-19.

Após mobilização das comunidades e a publicação de nota contestando o acordo, o MPMG se reuniu com os moradores e propôs uma visita ao território, o que ocorreria precisamente no dia 08 de julho. A visita incluiria um número grande de pessoas de fora do território: promotores, políticos, agentes de segurança e imprensa. Por isso, diante do contexto da pandemia do coronavírus, que já infectou mais de 800 pessoas no território, as comunidades solicitaram, através de ofício enviado ao órgão, a remarcação da visita para setembro de 2021. Nessa data, o avanço da vacinação permitiria maior segurança ao povo tradicional geraizeiro.

No mesmo ofício, foi solicitada também atenção e celeridade à regularização fundiária do território, que está que tem sido atropelado pelo licenciamento do Projeto Bloco 8. Outra solicitação da comunidade é sobre a suspensão das atividades da SAM no território em função da violação das medidas sanitárias de enfrentamento da pandemia. Até então não houve uma resposta oficial sobre as solicitações apresentadas.

Diante do exposto acima, as comunidades reafirmam que desejam seu território e chão sagrados livres de atividades minerárias e esperam que o MP cumpra seu papel na defesa das mesmas e não se curve diante da SAM. Que esse termo, construído sem a participação das comunidades seja revogado!

As comunidades seguem mobilizadas na luta e no enfrentamento contra a Mineração.

Mineração Aqui Não!
Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 05/07/2021 por Thiago Alves / Coordenação nacional do MAB

A Vale e seu racismo contra mulheres e crianças negras

Em seu segundo artigo sobre a luta antirracista dentro da militância do MAB, Thiago Alves traz depoimentos sobre mulheres de Minas Gerais que relatam como elas e seus filhos vivem o racismo no contexto da luta por reparação dos crimes da Vale e Samarco/Vale/BHP no estado.

| Publicado 19/05/2021 por Rafaella Dotta - Brasil de Fato MG

Atingidos ocupam mineradora ArcellorMittal, em Itatiaiuçu (MG), para exigir reparação

Cerca de 2 mil pessoas foram atingidas e evacuadas de suas casas devido à insegurança da barragem Serra Azul

| Publicado 19/05/2021 por Nota Coletiva

Nota: Não ao termo de compromisso positivo entre o MPMG e a Mineradora SAM

Acordo entre Ministério Público de Minas Gerais e Sul Americana de Metais pode ser fechado sem consulta às Comunidades Geraizeiras do Vale das Cancelas, que será atingida pelo empreendimento da mineradora