POCAE celebra 59 anos da Eletrobras em plenária e se manifesta contra a privatização da companhia

Atos (online e presencial no Rio de Janeiro) foram lideradas pela Plataforma Operária e Camponesa da Água e Energia (POCAE), que tem promovido uma intensa mobilização contra a Medida Provisória 1.031/21. A medida que é focada na privatização da maior empresa de energia elétrica da América Latina deve ser votada em breve no Senado

Nesse dia 11 de junho, movimentos populares participaram de uma plenária para celebrar os 59 anos da Eletrobras e, ao mesmo tempo, se manifestar contra a privatização da companhia, uma das maiores empresas do setor elétrico no mundo. Paralelamente à plenária virtual, aconteceu um ato presencial em frente à sede da companhia no centro do Rio de Janeiro (RJ).

Ato em frente à sede da Eletrobras no dia que a companhia completa 59 anos

Ao todo, 500 pessoas participaram do encontro online, incluindo senadores, deputados, sindicatos de eletricitários, lideranças do Movimento Atingidos Barragens (MAB), representantes das frentes Brasil Popular e Povo em medo e outros movimentos sociais que atuam em defesa soberania nacional. Além de celebrar a data, os participantes debateram as diretrizes de luta para impedir a aprovação da Medida Provisória 1.031/21, que deve ser votada em breve no Senado regulamentando a privatização da estatal.  

Em sua fala, uma das coordenadoras nacionais do MAB, Ivanei Dalla Costa, ressaltou que a Eletrobras é um patrimônio do povo brasileiro. “Nós estamos celebrando a história de uma empresa que desenvolveu toda a pesquisa e o planejamento da matriz energética elétrica do país. Isso não é pouca coisa”, declarou. Em sua participação, Ivanei também afirmou que os processos de privatização que já aconteceram no setor elétrico promoveram retrocessos no que diz respeito à garantia dos direitos da população atingida e, portanto, é imprescindível lutar contra novas reformas liberais.

Plenária online reuniu cerca de 400 participantes que discutiram as diretrizes da luta contra a privatização da Eletrobras

Ao todo, 500 pessoas participaram do encontro online, incluindo senadores, deputados, sindicatos de eletricitários, lideranças do Movimento Atingidos Barragens (MAB), representantes das frentes Brasil Popular e Povo em medo e outros movimentos sociais que atuam em defesa soberania nacional. Além de celebrar a data, os participantes debateram as diretrizes de luta para impedir a aprovação da Medida Provisória 1.031/21, que deve ser votada em breve no Senado regulamentando a privatização da estatal.  

Em sua fala, uma das coordenadoras nacionais do MAB, Ivanei Dalla Costa, ressaltou que a Eletrobras é um patrimônio do povo brasileiro. “Nós estamos celebrando a história de uma empresa que desenvolveu toda a pesquisa e o planejamento da matriz energética elétrica do país. Isso não é pouca coisa”, declarou. Ao falar sobre a relação entre o MAB e a as empresas do setor, Ivanei também afirmou que os processos de privatização que já aconteceram no setor elétrico promoveram retrocessos no que diz respeito à garantia dos direitos da população atingida e, portanto, é imprescindível lutar contra novas reformas liberais.

O senador Jean Paul (PT-RN) afirmou que a Eletrobras é um braço do estado brasileiro para fazer política energética que garanta o desenvolvimento do país e a competitividade do setor elétrico, “com tarifas justas para a sociedade e não para lucrar e não para tirar proveito da essencialidade da energia para explorar os consumidores e até os setores produtivos do Brasil, os setores comerciais do país”. O parlamentar destacou que os setores produtivos se posicionaram contra a privatização. Todos os setores, do brinquedo ao aço, da tecelagem à mineração, todo mundo que depende de energia elétrica está contra o MP”, declarou Jean.

A Medida Provisória (MP) 1031, que trata da privatização da Eletrobras, aguarda votação no Senado. Caso entre na pauta da Casa, os eletricitários prometem realizar uma paralisação de 72 horas em protesto ao encaminhamento.

Participaram da Plenária de 59 anos da Eletrobras

Plataforma Operária e Camponesa da Água e da Energia

A Frente Brasil Popular

A Frente Povo Sem Medo

O Coletivo Nacional dos Eletricitários

A Federação Única dos Petroleiros

A Frente Parlamentar em Defesa da Soberania Nacional

A Frente Parlamentar em Defesa do Setor Elétrico

A Frente Parlamentar em Defesa da Petrobras

A Frente Parlamentar em Defesa da Eletrobras

A Frente Parlamentar em Defesa da Chesf

A Frente Parlamentar em Defesa de Furnas

A Frente Parlamentar em Defesa da CGTEletrosul

A Frente Parlamentar em Defesa da Eletronorte

A Frente Parlamentar em Defesa das Concessionárias de Energia

A Frente Parlamentar Mista em Defesa das Organizações da Sociedade Civil

Conteúdos relacionados
| Publicado 15/06/2021

Quatro mentiras sobre a privatização da Eletrobras

Ao contrário do que diz o governo, a tarifa vai subir e apagões serão cada vez mais prováveis se a Eletrobras for privatizada, avaliam especialistas

| Publicado 12/05/2022 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Movimentos sociais e sindicatos realizam plenária nacional para reafirmar a luta contra a privatização da Eletrobras

Organizações sociais e sindicais do país têm denunciado os impactos que a privatização causará na vida da população e conseguiram adiar a entrega da maior companhia de energia do país ao capital privado

| Publicado 25/11/2021 por Coletivo Nacional de Comunicação do MAB

Soberania elétrica é tema de seminário com organizações do Paraguai e Brasil

Com formato virtual nas redes sociais e presencial em Foz do Iguaçu, Seminário “Soberania e Integração Elétrica Regional – Modelo Energético Atual: Desenvolvimento para quem e para quê” reúne organizações e movimentos nos dias 24, 25 e 26/11