Mulheres em Rondônia protagonizam luta histórica

No ultimo dia 8 de março, dia internacional das mulheres, em Porto Velho, as mulheres do campo e da cidade protagonizaram uma luta memorável, que levou centenas de mulheres as […]

No ultimo dia 8 de março, dia internacional das mulheres, em Porto Velho, as mulheres do campo e da cidade protagonizaram uma luta memorável, que levou centenas de mulheres as ruas.

Logo nas primeiras horas do dia, as mulheres organizadas na Via Campesina (MST, MAB, MPA e CPT), trancaram o acesso ao Belmonte, região portuária da capital, por onde todo gás e gasolina que abastece a capital e as cidades próximas chega, para denunciar as altas tarifas e a privatização desses setores causadas pelo golpe.

Segundo Leila Denise da coordenação da Via Campesina “ as mulheres denunciam nesse 8 de março as entregas das nossas riquezas, principalmente o gás, energia, petróleo e a produção agrícola ao capital estrangeiro, para a população só ficam as altas tarifas”.

Após a ocupação a marcha seguiu para a CERON (Centrais Eletricas de Rondônia), alvo de ataques e uma tentativa de privatização, onde se encontrou com trabalhadores da educação que estão em greve há dias, trabalhadores da Eletrobras e diversas outras categorias. “A luta das mulheres tem que ser contra a privatização da CERON”, para Manuela Gustavo do MAB,” somos as mais atingidas pelas altas tarifas, por isso estamos aqui hoje, o que eles querem com a privatização dessa empresa é isso, aumentar a conta de luz”.

A marcha ainda passou pela delegacia de mulher da capital, onde a juventude realizou uma intervenção lembrando que Rondônia é um dos estados que mais ocorrem feminicidios da região norte, a rua que passa na frente da delegacia foi rebatizada com o nome de Nicinha, militante do MAB, assassinada em 2016.

A caminhada das mulheres passou pelos bancos públicos, prefeitura e finalizou no CPA (Centro Político Administrativo), sede do governo do estado, ao todo quase 1000 mulheres participaram da caminhada.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho