Erlani Azevedo Paiva

“A gente fica mais preocupada porque é mulher, tem os filhos… Às vezes a gente quer fazer uma benfeitoria na casa e fica pensando se faz ou não, tudo nos […]

“A gente fica mais preocupada porque é mulher, tem os filhos… Às vezes a gente quer fazer uma benfeitoria na casa e fica pensando se faz ou não, tudo nos preocupa mais. Aqui tem pouco trabalho, mas tem o básico. Não vou dizer que dá pra viver 100%, mas a gente não quer que a barragem venha e leve tudo para o fundo.”

Erlani Azevedo Paiva, dona de casa, moradora da comunidade Pimental, ameaçada pelo complexo hidrelétrico do Tapajós