Arquidiocese de Mariana (MG) apoia plebiscito pela redução da tarifa

A Arquidiocese de Mariana MG, que engloba 79 municípios e 148 paróquias, com cerca de 1 milhão e meio de habitantes, assumiu apoiar a realização do Plebiscito Popular pela redução […]

A Arquidiocese de Mariana MG, que engloba 79 municípios e 148 paróquias, com cerca de 1 milhão e meio de habitantes, assumiu apoiar a realização do Plebiscito Popular pela redução da tarifa de energia elétrica e de ICMS, com meta de alcançar 100 mil votos em suas áreas.

A decisão aconteceu na quinta edição do Fórum Social pela Vida, que foi realizado pela Dimensão Sociopolítica da Arquidiocese e reuniu 400 pessoas na cidade de Piranga, zona da mata mineira. Durante o Fórum, foi lembrado o empenho de d. Luciano pela redução da conta de luz. Ele trabalhou na Arquidiocese por 18 anos e faleceu no dia 27 de agosto de 2006, mas sua memória continua viva nas lutas do MAB e do povo organizado. 

O Movimento dos Atingidos por Barragens participou de duas oficinas. Uma sobre ‘impactos da mineração e desequilíbrios socioambientais – águas para a vida!’. Há dois minerodutos que cortam a região e pelo menos mais três projetos, que vão para o Rio de Janeiro e Espírito Santo, todos de empresas privadas. A outra oficina foi sobre ‘estratégias para organização e transformação via movimentos e associações’. A oficina aprofundou o método e medologia de trabalho de base. 

O Plebiscito Popular pela redução da conta de energia elétrica é organizado por um conjunto de entidades, com participação do Movimento dos Atingidos por Barragens, e vai se realizar entre os dias 19 a 27 de outubro. A conta de luz em Minas Gerais é das mais caras do Brasil. O Plebiscito tem como objetivo reduzir a conta e agregar forças de mudança no Estado.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho